Koxa, Chumbo… e o Burle
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Koxa, Chumbo… e o Burle

Brasil continua no topo do mundo das ondas gigantes

Thiago Blum

30 de abril de 2018 | 19h25

Koxa, Burle e Chumbo: 3 gerações na festa do Oscar das Ondas Gigantes na Califórnia

Brasileiros bons de ondas grandes? Nenhuma novidade!

Ricardo Bocão, Renan Pitanguy, Rodrigo Resende, Taiu, Eraldo Gueiros.

Bem antes dos vídeos on-demand, do streaming e das redes sociais, eles tomavam conta das páginas da Fluir, Visual Esportivo, Hardcore, Trip… do jornal Nuts.

Guerreiros do ontem e de hoje, que abriram caminho para Pato, Scooby, Felipe Cesarano, Danilo Couto, Yuri Soledade, Maya Gabeira.

Waimea, Jaws, Mavericks, Teahuppo… Nazaré.

Cada sinal verde para o swell gigante, uma nova largada de adrenalina. A busca pelas maiores ondulações do planeta deixou de ser apenas aventura e coragem.

Ficou profissional, virou circuito da WSL.

E o país ganhou um líder.

Carlos Burle: domínio e tranquilidade em qualquer onda do planeta

Mais que títulos, Carlos Burle é sinônimo de respeito e admiração. Profissional no sentido total da expressão, se transformou em ícone. Mostrou temporada após temporada, que não há idade para desafios. Foi campeão mundial, mas os troféus ficaram pequenos diante de cada bomba dropada nos picos mais perigosos do mundo.

Levou a vida e o esporte no fluxo.

História que ele mesmo conta no documentário ‘Kahe – A Próxima Grande Onda de Carlos Burle’ – disponível no link – https://www.redbull.com/br-pt/videos/kahe-a-proxima-grande-onda-de-carlos-burle-filme.

Burle em Nazaré: pico português virou obrigatório para os atletas de ondas gigantes

O curta, lançado no último final de semana, mostra a preparação do pernambucano para a despedida, aos 50 anos. O fim de uma era nas competições. O início da história de legado, de experiência traduzida em inspiração. Eliminado na estreia do evento em Portugal, Burle acompanhou da areia e do farol de Nazaré, a vitória de Lucas Chumbo, pupilo de 22 anos que pediu para ser treinado por ele.

 

Lucas Chumbo: campeão em Nazaré e prêmio de Melhor Performance em Ondas Grandes da temporada

A conquista ajudou o novato alcançar outro troféu… ainda mais importante. No sábado, Chumbo faturou o prêmio de melhor performance da temporada no ‘WSL Big Wave Awards’.

Mais que os 20 mil dólares no bolso… deixou o mestre orgulhoso.

Só que a noite anual do ‘Oscar das Ondas Gigantes’ reservava uma festa ainda maior em verde e amarelo.

O motivo? Essa onda abaixo. O local? Nazaré, claro.

Rodrigo Koxa: 80 pés (24 metros) – Nazaré, Portugal – 8 de novembro de 2017

Em 8 de novembro de 2017,  Rodrigo Koxa pegou a melhor do dia, em um swell épico.

80 pés… mais de 24 metros. Maior onda surfada da história!!! Brasil no topo do mundo… de novo!!!

Rodrigo Koxa: troféu e prêmio de 25 mil dólares pela maior onda surfada na história

Carlos Burle: 50 anos – Recife/PE.

Rodrigo Koxa: 38 anos – Guarujá/SP.

Lucas Chianca Chumbo: 22 anos – Saquarema/RJ.

Três gerações campeãs. De três cantos do país.

Nomes que fazem parte de uma história com passado e presente de vitórias… e um futuro aberto para conquistas dentro e fora d’água.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: