Linhas aéreas catarinenses!
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Linhas aéreas catarinenses!

Não é só de tubos que vive a etapa de Fernando de Noronha

Thiago Blum

08 de fevereiro de 2020 | 19h41

Yago Dora, vice-campeão em Fernando de Noronha no ano passado – foto: Fabriciano Junior / Survive Photos

Todo mundo sabe.

Para conquistar bons resultados no circuito mundial também é preciso saber voar.

E hoje em dia, poucos decolam e pousam com tanta precisão quanto Yago Dora.

É difícil ver uma bateria do catarinense sem uma demonstração explícita de surfe progressivo.

E o jogo aéreo é uma das armas dele para a conquista inédita m Fernando de Noronha.

O ‘Oi Hang Loose Pro Contest’ começa na terça-feira e ele é um dos tops do WCT confirmados no QS 5 mil que rola no paraíso chamado Cacimba do Padre.

Yago Dora em ação na etapa de 2019 – foto: Fabriciano Junior / Survive Photos

Em 2019, Yago usou todas as armas e só foi derrotado na decisão, para o também brasileiro Jadson André.

“Ano passado eu cheguei muito perto. Numa final apertada, acabei perdendo nos últimos minutos. Senti esse gostinho até o final da bateria e me foi tirado. É um lugar que amo muito e seria incrível vencer lá”.

Yago começou bem a nova temporada da WSL.

Fez final em Pipeline e terminou na 3ª colocação no ‘Volcom Pipe Pro’.

E está pronto para – sem trocadilhos – voos mais altos.

“É muito bom começar o ano passando várias baterias. Chegar na final de um evento muito forte é um bom treino. Competir no Brasil é sempre muito bom. A gente passa a maioria do tempo competindo fora. Quando tem em casa é sempre muito legal. Recebe todo carinho do público, surfa mais confortável. Esse é o único grande evento que temos confirmado no Brasil até agora no QS, o que o torna mais importante ainda. Depois do CT de Saquarema, é o campeonato mais importante que a gente tem no nosso país. Espero que cada vez mais possa ter etapas desse porte no Brasil”.

Além de Yago, outros 3 brasileiros que vão disputar a elite da WSL em 202o vão competir nas clássicas e límpidas ondas da Cacimba.

Filipe Toledo, nº 4 do mundo em 2019, Jadson André e Miguel Pupo , que se classificaram para o WCT via ranking da divisão de acesso.

Cacimba do Padre, Fernando de Noronha

Além deles, vários nomes de peso confirmaram presença: Ian Gouveia, Jesse Mendes, Willian Cardoso, Alejo Muniz, Wiggolly Dantas também são candidatos ao caneco.

Entre os estrangeiros, destaques para o francês Joan Duru, o havaiano Mason Ho, o americano Jake Marshall, o espanhol Aritz Aramburu, o marroquino Ramzi Boukhiam e o português Vasco Ribeiro.

O evento será realizado pela 15ª vez na ilha e abre a temporada QS na América Latina, com status de 5000 pontos para o campeão.

Nas três últimas edições realizadas em Noronha, as vitórias foram brasileiras.

Alejo Muniz, em 2011, Miguel Pupo, em 2012 e Jadson André, ano passado.

por @thiago_blum

informações e fotos: Fábio Maradei / FMA Notícias

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: