Medina estreia com vitória na França
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Medina estreia com vitória na França

Filipe Toledo também vence, mas lesão nas costas preocupa

Thiago Blum

03 de outubro de 2019 | 19h47

Gabriel Medina – foto: WSL

Começou a deliciosa perna europeia da elite da WSL.

São só duas… mas etapas sempre decisivas na briga pelo título.

Hossegor recebe a primeira parada, o ‘Quiksilver Pro France’ – antepenúltima prova do calendário 2019.

No dia de abertura, 8 brasileiros garantiram presença direta na 3ª fase.

Vestindo a lycra amarela de líder e de olho no 4º título nas ondas francesas, Gabriel Medina comandou o time verde e amarelo.

Também concorrentes ao título, Filipe Toledo e Ítalo Ferreira também venceram na estreia.

Filipe Toledo – foto: WSL

Mas a situação de Filipinho é uma incógnita.

Nesta quinta, ele voltou a sentir a lesão nas costas que o havia tirado das finais do ISA Games, no Japão.

Em seguida, o camisa 77 competiu normalmente no Surf Ranch, ficou em 2º lugar na piscina e chegou no Velho Continente em bom estado clínico.

Diante dos locais Joan Duru e Marc Lacomare, o brasileiro deixou o mar faltando 10 minutos de bateria.

Mesmo assim, venceu.

Vamos esperar os próximos dias.

Ítalo Ferreira – foto: WSL

Precisando de resultados para tentar a reclassificação direta pelo WCT, Yago Dora, Michael Rodrigues, Willian Cardoso, Jesse Mendes e Peterson Crisanto também passaram direto para o round 3.

Caio Ibelli, Jadson André e Deivid Silva terão que disputar a repescagem para seguir na competição.

DVD e Ibelli terão australiano Soli Bailey pela frente.

Jaddy vai enfrentar o americano Kolohe Andino e o francês Marco Mignot, convidado do patrocinador.

Silvana Lima – foto: WSL

Na cave feminina, nada de boas notícias para o Brasil.

Tatiana Weston-Webb e Silvana Lima terminaram em 3º nas suas baterias do round 1.

Na repescagem, elas vão estar na mesma série, junto com a australiana Bronte Macaulay.

por @thiago_blum

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.