Não tá fácil pra ninguém
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Não tá fácil pra ninguém

Disputas acirradas no antepenúltimo dia do QS 3 mil da Austrália

Thiago Blum

28 de fevereiro de 2020 | 10h11

Matt Banting (AUS), um dos classificados do round 6 em Avoca Beach – foto: Ethan Smith / WSL

Não é elite.

A condição do mar na maioria das vezes fica bem longe do ideal.

São centenas de competidores

E todo mundo com muita fome.

O circuito mundial da divisão de acesso gira o mundo várias vezes em uma temporada.

E quem quer terminar entre os 10 melhores para garantir vaga no WCT no ano seguinte não pode vacilar.

Mas quando soa a sirene, vários nomes de peso – e outros tantos não muito conhecidos – caem no mar como se fosse a última bateria da carreira.

No WQS é assim.

O ‘Vissla Central Coast Pro’ é um bom exemplo.

A etapa de Avoca Beach não tem status tão valioso, garante ‘só’ 3 mil pontos para o campeão.

E a competição tá pegada.

Cooper Chapman (AUS) – foto: Ethan Smith / WSL

Locais acostumados a grandes eventos, como Matt Wilkinson e Stuart Kennedy, por exemplo, já foral eliminados.

O japonês Shun Murakami, vencedor do QS 5 mil da China e atual número 3 do ranking, também se despediu no round 5.

Mesmo destino dos Eduardo Motta e Wesley Santos, que vinham fazendo ótimas campanhas no torneio.

Mas o Brasil ainda segue na corrida pelo título em New South Wales.

Alejo Muniz passou em 2º na sua disputa e garantiu presença na 6ª fase.

Os próximos adversários do catarinense serão o americano Crosby Colapinto (irmão mais novo e menos badalado que Griffin), o francês Timothee Bisso e o ‘local hero’ Matt Banting. Bateria duríssima.

Rafael Teixeira ainda vai competir no round 5.

Com 16,00 pontos, o australiano Sheldon Simkus fez o maior somatório da sexta-feira.

As estrelas Adrian Buchan, Mitch Crews e Billy Stairmand também representaram bem a bandeira dos locais e passaram em primeiro.

Costa-riquenha Brisa Hennessy mantém o ritmo na chave feminina – foto: Ethan Smith / WSL

Na chave feminina as surpresas são menos intensas.

Líder da temporada 2020, Brisa Hennessy está entre as 32 classificadas do round 4 do ‘Sisstrevolution Central Coast Pro’.

Outras favoritas, a neozelandesa Paige Hareb e a francesa Pauline Ado também seguem na competição.

O QS 3 mil de Avoca Beach termina no domingo.

por @thiago_blum

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: