Pipe Masters amistoso… #sqn…
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Pipe Masters amistoso… #sqn…

Vitórias e eliminações brasileiras no Havaí

Thiago Blum

18 de dezembro de 2020 | 00h44

Ítalo Ferreira, de olho no bi em Pipeline – foto: WSL

Se tivesse sido um ano normal, essas horas estaria alucinado para saber quem seria o novo campeão mundial.

Mas esse 2020 foi tão louco, que até o calendário da WSL virou do avesso.

E confesso: ainda não digeri muito bem esse negócio da temporada ‘começar pelo final’.

Para quem acompanha o circuito mundial há 4 décadas, Pipeline é o ápice, o auge.

E esse sentimento de ‘tanto faz’, me pegou de surpresa durante as baterias deste ‘Billabong Pipeline Masters’.

Claro que vi tudo… e até vibrei ao ver as famosas linhas de Banzai chegarem na bancada.

Só que pela 1ª vez, não estou dimensionando o tamanho e a importância do maior campeonato de surfe do mundo.

Joh John Florence (HAW) busca o título inédito em Pipe – foto: WSL

E quer saber…

Acho que para os competidores também.

A não pressão de um briga pelo título e de uma reclassificação para a elite.

A ausência de público.

E uma preocupação maior – de não se infectar com uma doença mortal – mudou a energia no line-up.

Foi o que pesquei a milhares de quilômetros da ilha de Oahu.

Kelly Slater (EUA) sempre bem colocado – foto: WSL

É claro que vimos um Ítalo Ferreira ‘pilhado’ como sempre.

Adriano de Souza – um dos 7 caras do tour que já venceram o evento – decepcionado em ser eliminado ainda na repescagem, justamente em seu ano de despedida como profissional.

E John John Florence fazendo sempre algo diferente em frente de casa.

Craque que já venceu a ‘Tríplice Coroa Havaiana’ 3x, mas nunca levantou o troféu em Pipe. O bicampeão mundial (2016, 2017) é o único local do arquipélago que segue vivo na competição

Só que também teve conversa entre os atletas durante as baterias.

É sério!!!

Aquela resenha de como foi o tubo, ou do que faltou para sair dele.

Do mesmo jeito que rola nas sessões de free surfe entre amigos.

Um clima de amistoso… peraí… quase né?

Leonardo Fioravanti (ITA) – foto: WSL

Vale taça… e mais… a honraria de ser um ‘Pipe Masters’.

Por isso, teve muita coisa legal nesta quinta-feira.

Leonardo Fioravanti, por exemplo.

Antes mesmo do evento principal começar, ele já tinha disputado três baterias neste icônico pico. Confronto direto contra o australiano Mikey Wright, valendo a presença como titular em todos os torneios da temporada.

Depois, já na chave principal, foi parar na repescagem.

Por isso, caiu na água mais três vezes. Varou o round de eliminação.

E em seguida venceu os brasileiros Filipe Toledo e Peterson Crisanto.

Ou seja, já está nas quartas de final.

Que raça do italiano!

Jack Robinson (AUS) foi o dono das maiores notas do dia – foto: WSL

E o australiano Jack Robinson, um dos estreantes da temporada?

Enfrentou o compatriota Julian Wilson – outro que já venceu em Pipe – na 3ª fase.

Se jogou nas bombas como se estivesse no parque de diversões.

Tirou as melhores notas (9,23 e 8,50) e fez o maior somatório do campeonato (17,73).

Ah… e de quebra teve Kelly Slater, que por mais econômico que seja, sempre brilha nas esquerdas ou direitas.

Para a seleção verde e amarela, dia de altos e baixos.

Com o resultado final de 4 vivos e 7 eliminados.

Além de Adriano de Souza, Alex Ribeiro não passou da repescagem.

Junto com Filipinho, Yago Dora e Deivid Silva caíram no round dos 32.

Peterson Crisanto – pra mim o cara com a atitude mais agressiva entre os brazucas – e Caio Ibelli chegaram nas oitavas, mas pararam diante de Leonardo Fioravanti (ITA) e Jordy Smith (AFS).

Peterson Crisanto se jogou nas esquerdas e terminou em 9º lugar – foto: WSL

Ítalo Ferreira, Gabriel Medina, Miguel Pupo e Jadson André são os sobreviventes e ainda vão disputar o round dos 16.

Dois potiguares e dois paulistas.

Ítalo tenta o bicampeonato seguido.

Medina, que já disputou 4 finais por lá, também tenta o 2º título.

Miguel e Jadson tem experiência de sobra no Havaí.

Miguel Pupo, um dos 4 brasileiros que seguem no campeonato – foto: WSL

Confira os próximos confrontos programados.

Oitavas de final:

heat 4: Kelly Slater (EUA) x Jack Robinson (AUS)

heat 5: Ítalo Ferreira x Ryan Callinan (AUS)

heat 6: Jeremy Flores (FRA) x Miguel Pupo Jeremy é único bicampeão do Pipe Masters em ação nesta edição

heat 7: Gabriel Medina x Jack Freestone (AUS)

heat 8: Jadson André x Kanoa Igarashi (JPN)

Duelos já definidos das quartas de final:

heat 1: Leonardo Fioravanti (ITA) x John John Florence (HAW)

heat 2: Jordy Smith (AFS) x adversário indefinido

Jordy Smith (AFS) – foto: WSL

Bom gente, é só o começo.

Ainda estou me acostumando com as novidades da World Surf League.

Mas que é bom demais, nós já sabemos!!!

por @thiago_blum

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.