Pranchões no Ceará
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Pranchões no Ceará

Brasileiro de Longboard rola a partir de quarta em Jericoacoara

Thiago Blum

06 de dezembro de 2020 | 12h21

9 a 13 de dezembro.

Jericoacoara, Ceará.

Um paraíso do nordeste.

É lá que os principais nomes do longboard nacional vão se encontrar para o ‘VI Jericoacoara Cultura Longboard Surf Festival’.

Todo ano, o evento promove a difusão e fortalecimento da cultura surfe,  com a participação dos melhores atletas do Brasil e do mundo.

Fora da água, atividades culturais, ativações diversas e muita confraternização.

Jericoacoara será a capital dos pranchões pela 3ª vez.

Esse ano, com status de Campeonato Brasileiro, já que será a única etapa do torneio nacional da modalidade e definirá os nomes dos campeões amadores e profissionais, tanto entre os homens, quanto entre as mulheres.

Entre os convidados especiais, Chloé Calmon, medalhista de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019.

Ela foi uma das primeiras a chegar e já está em Jeri para passar duas semanas no paraíso e aproveitar, além das ondas, tudo que a região tem a oferecer em cultura e diversão.

O bicampeão mundial Phil Rajzman é mais um grande nome que não abre mão de chegar um pouco mais cedo para interagir com a comunidade local.

Pedra Furada, Jericoacoara/CE

O campeão português Diogo Gonçalves, Eduardo Bagé,o franco-brasileiro desbravador mundial de pororocas, e o santista expoente da novíssima geração Théo Cabeleira, também confirmaram presença.

As categorias em disputa serão:

Profissional: Pro/AM Masculino e Pro/AM Feminino;

Amadores: Júnior (18-); Master (35+); Legends (50+); Super Legends (55+);

Open Feminino (sem limite de idade) e Open Masculino (sem limite de idade);

Kids/Social (para crianças da comunidade): Masculino, Feminino e Open;

Iniciante Masculino; Iniciante Feminino (exclusiva para os integrantes do Clube de Longboard do Ceará e convidados).

Surfe Adaptado: exibição do ‘Projeto Sonhando Sobre as Ondas’, do surfista Francisco Atanásio Bichinho, um dos maiores ativistas do surfe adaptado no Brasil e no mundo.

Desafio da Pedra Furada: Remada competitiva e Passeio.

Jericoacoara/CE – foto: divulgação

A premiação dorofissional será composta por R$ 20 mil em dinheiro, divididos igualmente entre homens e mulheres e distribuídos de acordo com o livro de Regras da CBSurf. Todos os finalistas receberão troféus e kits do patrocinador.

Nas categorias amadoras a premiação será composta por Longboards para os campeões, além de troféus e kits  para os finalistas.

Para o ‘Desafio da Pedra Furada’, os três primeiros colocados de cada modalidade receberão medalhas e kits.

por @thiago_blum

fonte: CBSurf

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.