Fórmula Indy: vitória será de quem errar menos, na etapa do Alabama

miltonpazzi

10 de abril de 2011 | 00h31

SÃO PAULO – Penske ou Ganassi? A temporada 2011 da Fórmula Indy mal começou e a disputa entre as duas maiores equipes pela ponta está por milésimos de segundos. Neste domingo, na segunda corrida do ano, a etapa do Alabama (circuito misto em Barber), os seis carros dos dois times brigam pela vitória e apostam que um erro pode ser decisivo. A largada para as 90 voltas está marcada para as 16h45, com Bandsports.

Nos treinos de pré-temporada e nas sessões livres a Penske, seja com Will Power (AUS), Ryan Briscoe ou Helio Castroneves (BRA), esteve à frente. Mas o atual bicampeão Dario Franchitti (ESC), mais Scott Dixon (NZL) e agora Graham Rahal (EUA) sempre estiveram por perto. Franchitti, aliás, aproveitou as falhas para vencer a corrida de abertura, há duas semanas, nas ruas de São Petersburgo.

Confiança não falta aos favoritos. “Tenho boas lembranças de minha vitória aqui no ano passado (na primeira corrida da categoria neste circuito). Nos testes, nosso carro sempre esteve rápido aqui”, diz Castroneves, que, por sinal, corre com o carro predominantemente azul, por exigência de um patrocinador. “Eu acho que estamos bem fortes neste fim de semana. Este pode ser um lugar onde nós terminaremos no pódio”, emenda o companheiro Power, mais rápido nos treinos da sexta-feira e pole position.

“Espero um dia (hoje) como o da primeira corrida, onde tudo funcione como um relógio, nos pit stops, e que não aconteça nenhum acidente onde eu esteja envolvido”, discursa Franchitti, que tem 27 vitórias na Indy e,com mais uma, entra na lista dos dez maiores vencedores. É outro que terá a cor azul em seu carro nesta etapa, além do vermelho e branco.

Os brasileiros (com Tony Kanaan, na KV-Lotus – que vem de um excelente terceiro lugar na estreia, mas com muitos problemas nos treinos livres –, e Vitor Meira, na AJ Foyt) estão com um representante a menos: Bia Figueiredo, que só assiste porque quebrou e precisou operar a mão direita – está com um pino no local – por causa de uma batida na corrida anterior. Seu carro na Dreyer&Reinbold está com o francês Simon Pagenaud.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.