Pai de Felipe Massa passa o dia em hospital

miltonpazzi

30 de outubro de 2008 | 20h48

SÃO PAULO – Titônio Massa, pai de Felipe Massa, passou o dia nesta quinta-feira em um hospital em São Paulo. Nos últimos tempos, ele vinha sentindo fortes dores renais e internou-se para a retirada de pedras nos rins, por meio de uma videolaparoscopia.

CAMBISTAS
O movimento de cambistas diminuiu nesta quinta em relação ao dia anterior, em Interlagos. Motivo: até mesmo nas mãos deles já são raros os ingressos para os treinos e a corrida do GP do Brasil. Nas bilheterias, porém, no final da tarde de quinta ainda havia ingressos para os treinos desta sexta.

HAMILTON
O ex-piloto Martin Blundle aponta Lewis Hamilton como favorito ao título. O inglês, atualmente comentarista de TV, porém, tem opinião diferente quando o assunto é o melhor piloto da F-1: Fernando Alonso, aponta, sem pestanejar.

POLÊMICA
O australiano Mark Webber quebrou o silêncio dos pilotos em relação à proposta do presidente da FIA, Max Mosley, de instituir um motor padrão na F-1 a partir de 2010:  “Conheci e sempre assisti à Fórmula 1 como símbolo de competitividade. Espero que continue assim. O motor único será decepcionante.”

PEQUENA AJUDA
O finlandês Heikki Kovalainen foi curto e grosso ao ser questionado sobre a possibilidade de dar passagem a Lewis Hamilton na corrida de domingo: “Aconteceu uma vez este ano, em Hockenheim, e ele estava mais rápido. é uma situação comum, não tenho de ficar envergonhado por isso.”

SEM AJUDA
Poderia Rubens Barrichello ajudar Felipe Massa, de alguma maneira, a conquistar o Mundial? O piloto da Honda acha que isso é impossível. E inverte a questão. “Acho que ele é que poderia me ajudar”, disse o brasileiro, durante a coletiva de imprensa. “Talvez ele poderia me passar um pouco da potência de seu carro ou algo do tipo”, completou Rubinho, causando risadas entre jornalistas e do próprio Felipe Massa.

RETORNO?
O GP do Canadá pode voltar nesta sexta-feira ao calendário da Fórmula 1. A prova de Montreal foi excluída da competição para 2009 por falta de garantias financeiras.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.