Tem uma valeta no fim do concreto do Sambódromo

miltonpazzi

30 de abril de 2011 | 12h48


Raphael Matos (AFS, carro vermelho e amarelo) e Marco Andretti (Andretti) passam pela reta

SÃO PAULO – As obras na pista do Circuito do Anhembi para a Fórmula Indy em 2011 foram boas, tanto que os tempos melhoram a cada volta, à medida que o dia passa e o asfalto ganha “borracha”. O problema é a diferença de altura entre o fim do concreto da reta do Samba e o começo do asfalto da curva 1.

Tem piloto brincando dizendo que há uma valeta, que servirá para escoar a água da chuva – que pode cair no domingo, durante a prova. O ruim é o impacto: certamente vai ter gente com mais dores nas mãos e coluna do que o normal, após as 74 voltas da corrida no domingo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.