A hora da decisão

Estadão

29 de abril de 2011 | 18h22

O maior clássico de todos os tempos do vôlei brasileiro mais uma vez decide a Superliga feminina. Neste sábado, às 10 horas (com TV Globo e SporTV), Unilever e Sollys/Osasco fazem pela sétima vez consecutiva a final da competição. Nos seis anos anteriores, foram quatro vitórias das cariocas, contra duas das paulistas. Na história do torneio, os dois times são os maiores campeões – o Unilever tem seis títulos e o Osasco levantou a taça quatro vezes.

E dessa vez o confronto será em quadra neutra. O Ginásio do Mineirinho, em Belo Horizonte, recebe o embate. Ao contrário do que aconteceu nas últimas duas temporadas, com decisões no Maracanãzinho e Ibirapuera, nenhuma das duas equipes levará vantagem no quesito torcida.

Por isso, o mais difícil neste momento é apontar o favorito. Os dois grupos são espetaculares, recheados de estrelas, bem treinados. Tanto que dão pouco ou quase nenhum espaço para os outros times. A única maneira que encontro para dar um palpite sobre o jogo é analisar posição por posição:

LEVANTADORAS
Dani Lins (UNI) x Carol Albuquerque (OSA) – As duas são craques, as melhores brasileiras ao lado de Fabíola e Fofão. Mas acho que Carol leva uma pequena vantagem pela experiência.

LÍBEROS
Fabi (UNI) x Camila Brait (OSA) – Camila é a passadora mais eficiente da Superliga, com um aproveitamento impressionante de 66,67%. Mas Fabi é medalhista de ouro olímpica, titular absoluta da seleção e tem a garra necessária na hora da decisão. Por isso, aposto que ela vai brilhar na final.

PONTEIRAS
Mari (UNI) x Jaqueline (OSA) – As duas deram a volta por cima nesta Superliga e venceram lesões para estar na final. São excelentes jogadoras, com nível de seleção. Equilíbrio total. Aqui aponto um empate.

Regiane (UNI) x Sassá (OSA) – Sassá tem mais experiência e é melhor do que Regiane. Aqui há uma boa diferença a favor do time paulista.

CENTRAIS
Juciely (UNI) x Thaísa (OSA) – A experiência de Thaísa, outra que tem muita garra, conta o excelente desempenho de Juciely na atual Superliga – é a melhor bloqueadora. Pequena vantagem para Thaísa, pela experiência e altura – ela sabe se impor com seus 1,96 m.

Valeskinha (UNI) x Adenízia (OSA) – Adenízia está em melhor fase e melhor a cada jogo nesta Superliga. Leva vantagem sobre a rival.

OPOSTAS
Sheilla (UNI) x Natália (OSA) – Acredito que Natália será, no futuro, a melhor jogadora do mundo. Mas, apesar de até já ter disputado um Mundial com a seleção, ainda precisa de experiência e amadurecimento em quadra. Sheilla é completa, erra pouco e bloqueia muito. Nesta posição, uma pequena vantagem para as cariocas.

TREINADORES
Bernardinho (UNI) x Luizomar (OSA) – Bernardinho revolucionou o vôlei brasileiro e, na minha opinião, leva vantagem contra qualquer treinador do mundo. Mas Luizomar também é muito bom, tem potencial para assumir a seleção no futuro, e pode sim fazer a diferença na hora da decisão. Mas, na comparação com Bernardinho, claro que ele ainda perde.

Por 4 a 3, o Osasco leva vantagem nesta análise, e por isso aposto na vitória da equipe paulista. Mas claro que esta análise é absolutamente pessoal e, num jogo deste nível, tudo pode acontecer. O Unilever tem campanha melhor na Superliga, algo que também precisa ser levado em conta. A única certeza é que teremos um jogaço, imperdível para quem gosta de vôlei.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.