Brasil estreia com vitória fácil sobre Porto Rico na Liga Mundial

Estadão

27 de maio de 2011 | 22h51

O Brasil teve pouco trabalho para estrear com vitória na Liga Mundial de vôlei. Na noite desta sexta-feira em San Juan, passou com tranquilidade por Porto Rico por 3 sets a 0, parciais de 25/15, 25/19 e 25/16.

Com o resultado positivo, a seleção masculina inicia bem a campanha rumo ao décimo título da competição. No Grupo A, divide a liderança com a Polônia, que mais cedo havia superado os Estados Unidos. Os dois melhores de cada chave se classificam para as finais.

Os brasileiros voltam a entrar em quadra neste sábado, novamente diante de Porto Rico em San Juan, às 21h30. Depois, nas próximas três semanas, fazem seis confrontos seguidos em casa, contra todos adversários do grupo.

No confronto desta sexta, o Brasil, que venceu oito das últimas 10 Ligas Mundiais (só perdeu em 2002 e 2008), jogou em ritmo de treino. Os portorriquenhos ofereceram pouca resistência e abusaram dos erros de saque.

Com exceção de Murilo e Dante, que não viajaram para San Juan, Bernardinho escalou o time principal. O líbero Serginho, que retornou à seleção após uma ausência de dois anos devido a uma lesão, jogou bem, mas os destaques da partida foram outros veteranos: Rodrigão e Giba.

Rodrigão fez a torcida brasileira esquecer Murilo, eleito o melhor do mundo em 2010, e não deu quase nenhuma chance para a defesa de Porto Rico. Já Giba relembrou os velhos tempos e mostrou que está disposto a recuperar a condição de titular.

Bruno,  João Paulo Bravo, Lucas e Leandro Vissotto completaram a equipe titular. Gustavo, que não atua pela seleção desde os Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, ficou no banco de reservas.

Ano importante.
Além da Liga Mundial, o Brasil disputa este ano o Campeonato Sul-Americano, em setembro, que dá vagas à Copa do Mundo no Japão, em outubro. Os três primeiros colocados deste torneio garantem vaga direta na Olímpiada de Londres 2012, sem a necessidade da disputa dos pré-olímpicos regionais.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.