Com Natália, Unilever deve manter hegemonia no vôlei brasileiro

Estadão

11 de maio de 2011 | 17h36

A Superliga feminina de vôlei corre até o risco de ser uma competição sem graça na temporada 2011/12. A Unilever, atual campeã, tirou do Sollys/Osasco Natália (leia mais aqui), a maior revelação do voleibol brasileiro nos últimos anos, dona da bola mais potente do País.

Além de ser comandado por Bernardinho, o time já contava com as craques Sheilla, Mari e Fabi, a excelente levantadora Dani Lins e as boas centrais Juciely e Valeskinha. A equipe era forte, ficou ainda mais poderosa e enfraqueceu a principal rival.

Com este grupo, é difícil imaginar o título longe do Rio de Janeiro na próxima competição. Osasco, Vôlei Futuro e Pinheiros podem começar a se coçar. Caso contrário, vão levar um baile e assistir à manutenção de uma soberania no vôlei nacional.

(Foto: Alexandre Arruda/Divulgação)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.