Serginho e Gustavo: os retornos

Estadão

25 de maio de 2011 | 17h35

Uma das atrações neste início de Liga Mundial (o Brasil estreia na sexta em San Juan, às 21h30, contra Porto Rico) será ver os retornos dos campeões olímpicos Serginho e Gustavo à seleção brasileira.

O líbero, atual campeão da Superliga pelo Sesi-SP, não atua pelo Brasil desde o fim de 2009 – sofreu com um problema nas costas. E parece estar contente com a volta.

“Após a cirurgia, não sabia como iria reagir ao ritmo de treinamentos da seleção, que é muito intenso. Mas tudo correu bem e estou muito feliz por estar de volta. O grupo segue vitorioso e com a mesma mentalidade e isso facilitou o meu retorno”, diz.

No caso de Gustavo, do Cimed/Sky, a saudade é ainda maior. Defendeu a camisa amarela pela última vez nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008. Chegou a dizer que não jogaria mais pela seleção, mas não resistiu à convocação do técnico Bernardinho para a Liga Mundial.

“A ansiedade está aumentando à medida que o jogo se aproxima. O momento mais emocionante será quando ouvir o Hino Nacional novamente. Neste momento entenderei o que significa vestir a camisa da seleção novamente”, afirma.

Os dois tem tudo para voltar a atuar em alto nível pela seleção, afinal, tem contribuído muito com seus clubes no Brasil. Já fizeram parte de uma geração vencedora e podem ajudar a manter o vôlei brasileiro como o melhor do mundo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.