Virna aposta no sucesso de Venturini no retorno ao vôlei

Estadão

20 de julho de 2011 | 19h16

Aos 39 anos, Virna não é mais atleta profissional, mas nem por isso abandonou seu esporte favorito. Nesta quarta-feira, em São Paulo, ela anunciou que será ‘madrinha’ da dupla Taiana e Vivian, do vôlei de praia. A parceria sonha em conseguir uma vaga para os Jogos Olímpicos de Londres 2012.

Na apresentação do patrocínio (Cenoura & Bronze) à dupla, a ex-jogadora não deixou de comentar os últimos acontecimentos do voleibol na quadra, especialidade dela – foi medalhista de bronze em Atlanta (1996) e Sydney (2000). Elogiou a campanha do Brasil na Liga Mundial e disse que aposta muito nas meninas, que no dia 5 começam a disputar o Grand Prix.

Mas Virna demonstrou ainda mais confiança ao falar sobre a colega Fernanda Venturini, que, aos 40 anos, voltará ao vôlei na próxima Superliga após uma ‘aposentadoria’ de quatro anos. “Ela parou cedo, ainda tem muito o que fazer.”

Venturini jogará no time comandado pelo marido Bernardinho, o Unilever, atual campeão. Será que pensa em seleção brasileira? “Acho que não, a Fernanda não quer mais isso para ela, já passou, e tem que dar oportunidade para as que estão chegando agora.”

Mas, como todos sabem no mundo do vôlei, todos sabem que ainda não surgiu uma levantadora com o nível de Fernanda Venturini e Fofão, que defenderam o Brasil nas últimas Olimpíadas. “É verdade”, concorda Virna. “Mas vamos chegar lá”, afirma. Hoje, a equipe de José Roberto Guimarães conta com Dani Lins e Fabíola na posição.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.