Araçariguama quer autódromo em 2022

Araçariguama quer autódromo em 2022

O projeto desenvolvido pela prefeitura local e o Ituano Motor Clube está em fase de definição: atualmente são realizadas as medições e análise do terreno e a previsão é que esteja totalmente construído em torno de cinco anos.

Wagner Gonzalez

05 Janeiro 2018 | 08h30

Complexo terá pistas de arrancada, asfalto e terra e área para raves

Ilustração da proposta para o pórtico principal do autódromo de Araçariguama (IMSC)

Município situado a pouco mais de 50 quilômetros da Praça da Sé, o marco zero da capital paulista, Araçariguama deverá reforçar sua ligação com o automóvel através da construção de uma arena multiuso que inclui pistas de arrancada, asfalto e terra além de arena para shows e raves. O projeto desenvolvido pela prefeitura local e o Ituano Motor Clube está em fase de definição: atualmente são realizadas as medições e análise do terreno e a previsão é que esteja totalmente construído em torno de cinco anos. A cidade acessada pela rodovia Castelo Branco já é conhecida pelos autoentusiastas graças a um centro de restauração, venda e museu de veículos antigos e clássicos, o Box 54; a região tem ainda várias indústrias voltadas para o automóvel como a Chery, GM, Kia e Toyota.

A área reservada para o autódromo está situada próxima ao Distrito Industrial de Cururuquara IIMSC)

O Autódromo Internacional de Araçariguama foi anunciado pela prefeitura local no final do ano passado e ,segundo fontes ligadas ao empreendimento uma vez aprovado o projeto, sua construção priorizará as pistas de arrancada e de velocidade na terra; paralelamente um espaço multiuso atenderá prioritariamente a demanda regional por shows de música e eventos do tipo “rave”. Este modelo econômico é o mais adequado para ocupar o espaço localizado na Fazenda Cambarás, no bairro Santa Ella, e gerar receita enquanto a pista de asfalto e as instalações do paddock são construídas. Executivos ligados à cena musical estariam considerando investir no projeto através da construção da área de shows, apoio que facilitaria enormemente a consolidação do empreendimento. De acordo com Eduardo Gozzano, presidente do Ituano Motor Sport Club (IMSC), a proposta é calcada na praticidade e funcionalidade:

Ilustração do edifício dos boxes e paddock da pista de arrancada (IMSC)

“O projeto é arrojado e foca em categorias intermediárias sem deixar de lado eventos nacionais e internacionais. O edifício dos boxes terá 40 garagens de 200 m2, 50 vagas para caminhões e veículos de apoio, acomodação para 2 mil pessoas no paddock, torre de cronometragem, posto de abastecimento e ambulatório.”

Dois restaurantes, quatro lanchonetes e previsão para escolas de jornalismo especializado, fotografia e cursos para formação de comissários técnicos e desportivos também estão contemplados no projeto. Paulo Scaglione, dirigente ligado ao IMSC, classificou o projeto como “dentro de padrões internacionais e com o que há de mais moderno em infraestrutura, para abrigar grandes eventos, incluindo outras competições nacionais e internacionais”.

Traçado inclui curvas como a do Hairpin, que lembra a antiga Ferradura, de Interlagos (IMSC)

Embora as ilustrações divulgadas incluam o desenho da pista de asfalto, a versão definitiva ainda está em fase de definição. O terreno reservado para esse complexo tem aproximadamente um milhão de metros quadrados, algo próximo ao tamanho de Interlagos e que equivale a um quinto de todo o empreendimento, que inclui a construção de um condomínio residencial.