CBA abre franquias de escolas de kart

CBA abre franquias de escolas de kart

Licenciamento será feito por intermédio das Federações Estaduais

Wagner Gonzalez

05 Setembro 2018 | 14h55

Projeto iniciado em 2016, a Escola Brasileira de Kart, a EBK, já conta com cinco unidades em funcionamento e deverá ganhar novo impulso com a criação de um programa de franquias aberto para kartódromos de todo o País. A decisão foi tomada depois que o projeto aprovado pela Lei Federal de Incentivo ao Esporte não obteve os recursos esperados. Assim, a partir de agora o processo de adesão ao projeto será conduzido através das federações estaduais, as FAUs, sendo que os interessados deverão seguir a linha de trabalho determinada pela Comissão Nacional de Kart (CNK), orgão que cuida da modalidade junto à Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA).

São Paulo é um dos cinco Estados que já tem uma unidade da EBK, ao lado da Bahia, Maranhão, Minas Gerais e Santa Catarina. Ainda este ano deverá entrar em funcionamento outra sede, no Estado do Mato Grosso. Todas elas atendem aos requisitos básicos para instalação de cada unidade: mínimo de cinco karts da categoria cadete, sala de aula para atividades teóricas, professores, monitores e equipamento de segurança para os competidores. O investimento previsto para instalar uma unidade da EBK é estimado em torno de R$ 70 mil. Por seu lado a CNK e a CBA fornecem gratuitamente todo o material ddático e o treinamento do pessoal técnico; o custo do curso para o piloto iniciante varia de unidade para a unidade e segue valores locais. A unidade paulista da EBK funciona no Kartódromo da Granja Viana e oferece cursos para pilotos a partir de seis anos; o pacote inicial consta de cinco aulas e custa R$ 500,00.

Ao adquirir a franquia o franqueado responsável recebe da CBA todo o material didático, layout padronizado, diplomas, cédulas desportivas para os formandos e treinamento dos profissionais para que a metodologia nacional seja implantada em todas as unidades. Paralelamente, os franqueados terão acesso privilegiado aos fornecedores oficiais da EBK para o fornecimento de uniformes e material promocional. De acordo com o presidente da CBA, Waldner Bernardo, a proposta de abrir 10 unidades da EBK até 2020 continua firme, razão pela qual o programa de financiamento do projeto modificado:

“Estudamos bastante nos últimos meses uma forma de atender a demanda que estávamos recebendo. Mesmo com sua aprovação na Lei Federal de Incentivo ao Esporte, não significou efetivamente que tivéssemos captado a verba para as novas implantações. Dentro de nossa previsão orçamentária a CBA não tinha como investir sozinha, neste momento, numa terceira fase de implantação. Sendo assim, ouvimos alguns especialistas e optamos por elaborar este novo formato que, acima de tudo, irá possibilitar que qualquer kartódromo tenha a sua unidade da EBK”.

Mais conteúdo sobre:

CBAEBKCNKEscola de Kart