Divila dará palestras em Sydney

Divila dará palestras em Sydney

Brasileiro tem histórico destacado nas principais categorias do automobilismo mundial.

Wagner Gonzalez

04 de janeiro de 2019 | 08h30

Poucos nomes do automobilismo mundial podem exibir um currículo tão vasto e honrado quanto o engenheiro brasileiro Ricardo Divila: do caminho iniciado com o protótipo Snob’s Corvair construído na década de 1960 para Eduardo Celidônio e Carlos Alberto Sgarbi ao desenvolvimento dos mais recentes modelos de competição da Nissan, Divila percorreu o mundo trabalhando para diversas equipes de F-1, F-Indy, F-Nippon, WEC, Turismo, Dakar, muitas vezes em programas paralelos, o que lhe garantiu status de passageiro VIP em diversas empresas aéreas. Considerado uma das mentes mais brilhantes e apaixonadas pelo automobilismo de competição, há algum tempo ele também contribui com a revista Race Car Engineering, onde publica textos de grande conteúdo técnico e leitura agradável.

Delta Wing é um dos inúmeros projetos que teve a contribuição de Ricardo Divila (Nismo)

Se você gosta de automobilismo e de vinhos e pode estar em Sydney em fevereiro, considere-se uma pessoa de sorte, primeiro porque nesse mês Ricardo Divila será palestrante de honra num evento da Race Engineering Academy. O eventovai de 11 a 22 de fevereiro e Ricardo será responsável por cinco módulos, cada um deles com duração de meia jornada; nelas ele abrangerá temas que incluem seu histórico nas competições, o projeto Delta Wing, estratégia de corridas de resistência, sistemas de freios e um período dedicado a perguntas e respostas.

Porsche Club de New South Wales promove passeio a uma vinícola no d0mingo 10/2 (Porsche Club NSW)

O fuso horário de Sydney  em relação à Brasília, uma diferença de 13 horas a mais, é outro motivo para essa viagem e provar vinhos com uma uva criada na década de 1950. Chegue uns dias antes e aproveite para participar do Crooked River Wines Lunch Drive, um passeio marcado para o dia 10 e organizado pelo Porsche Club de New South Wales. O trajeto de 130 km dura, em condições normais, duas horas e meia, mas a ideia é desfrutar a bela paisagem da rodovia M1 que margeia o Oceano Pacífico Sul. A vinícola Crooked River produz bons tintos com as uvas Cabernet Sauvignon e Shiraz (a variedade mais popular entre os aussies) e com a menos conhecida Chambourcin, uma variedade híbrida desenvolvida na França por Joannes Seyve nos anos 1950 e disseminada inicialmente no vale do Loire e na região de Nantes; mais tarde ganhou espaço em uma vasta área em torno dos Finger Lakes na América do Norte. A Chambourcin é normalmente comparada com a Cabernet Sauvignon, com notas mais apimentadas.

A paisagem da vinícola Crooked River, que produz tintos com a uva Chambourcin (Crooked River Winery)