F1 Áustria: Bottas é pole

F1 Áustria: Bottas é pole

Vettel completa a primeira fila do grid. Hamilton perde cinco posições. Williams com problemas.

Wagner Gonzalez

08 de julho de 2017 | 12h33

Mais rápido na prova de classificação para o Grande Prêmio da Áustria, a segunda pole position do finlandês Valtteri Bottas teve sabor de revanche para a equipe Mercedes: por causa da troca antecipada da caixa de câmbio do seu carro o inglês Lewis Hamilton foi penalizado com a perda de cinco posições no grid e vai alinhar em oitavo, entre os dois carros da Force India. O alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, completa a primeira fila, o que lhe dá alguma vantagem sobre o inglês, seu maior rival na disputa do título de 2017; A diferença entre os tempos de Bottas e Vettel foi de apenas 42/1000 de segundo. Ao final dos treinos, durante entrevista com os três pilotos mais rápidos no meio da pista, Hamilton e Vettel trocaram um rápido aperto de mãos e quando o locutor – o ex-piloto italiano Davide Valsecchi – convidou-os para repetir o gesto em caráter mais formal o britianico deu as costas e voltou para o seu box. Felipe Massa e Lance Stroll pagaram caro pelas novidades aerodinâmicas apresentadas pela Williams e largarão na penúltima fila.

Vettel larga na primeira fila em uma pista onde a primeira curva é cenário de acidentes (Ferrari)

Um dos circuitos com os menores tempos de volta de toda a temporada, Spielberg tem um layout onde a primeira curva é um local que facilita acidentes na largada e por isso uma boa partida é ainda mais importante nesta pista. Dito isso não foi surpresa ver vários pilotos ensaiando largadas na propria pista, manobra que em outros autódromos geralmente é feita na saída dos boxes. Este cenário dá alguma vantagem para Valtteri Bottas e Sebastian Vettel, já que as disputas mais acirradas normalmente envolvem pilotos do meio do pelotão. Esta situação cria um panorama pouco favorável a Lewis Hamilton.

Nem tudo são flores para Lewis Hamilton: ele perdeu cinco posições no grid (Mercedes)

Como a troca da caixa de marchas só é permitida a cada seis corridas, o fato de a Mercedes ter trocado o câmbio do carro de Lewis Hamilton pela terceira vez em nove GPs motivou a punição de perder cinco posições no grid. Não bastassem a pena em si, o fato que ele fez o terceiro melhor tempo e o cenário de uma primeira curva problemática, Hamilton vai alinhar entre os dois pilotos da Force India, Sérgio Pérez e Estebán Ocón, que vivem um relacionamento mais tenso a cada corrida: mais jovem, o francês mostra evolução que ameaça o reinado do mexicano. No recente GP do Azerbaijão os dois chegaram a se tocar durante disputa de posição e Pérez já cobra de sua equipe atitudes que garantam seu status – agora bastante ameaçado – de primeiro piloto.

Com a punição de Lewis Hamilton, Pérez aumentou a vantagem sobre o inimigo de equipe Ocón (Force India)

Pior ainda é o cenário na equipe Williams: uma série de novidades no modelo FW40 não trouxe os resultados esperados e o rendimento de Felipe Massa (17º) e Lance Stroll (18º) foi o pior desta temporada. Segundo o brasileiro as alterações não geraram carga aerodinâmica suficiente para que os pneus atingissem a temperatura ideal de funcionamento; em outras palavras, esse equipamento não tinha aderência suficiente. Para piorar a situação, a asa traseira do carro de Massa teve que ser substituída na tomada de tempos, prejudicando ainda mais o ritmo de trabalho em um momento crucial do fim de semana.

Noite da Williams vai exigir uma longa análise do que deu errado com a nova aerodinâmica do FW40 (Williams)

O grid do GP da Áustria 2017:

1) Valtteri Bottas (Finlândia), AMG-Mercedes W08, 1’4″251
2) Sebastian Vettel (Alemanha), Ferrari SF70H, 1’4″293
3) Kimi Raikkonen (Finlândia), Ferrari SF70H, 1’4″799
4) Daniel Ricciardo (Austrália), Red Bull RB13-Tag Heuer 1’4″896
5) Max Verstappen (Holanda), Red Bull RB13-Tag Heuer, 1’4″983
6) Romain Grosjean (França), Haas VF17-Ferrari, 1’5″480
7) Estebán Ocón (França), Force India VJ10-Mercedes, 1’5″605
8) Lewis Hamilton (Grã-Bretanha), AMG-Mercedes W08, 1’5″483 (*)
9) Sérgio Pérez (México), Force India VJ10-Mercedes, 1’5″674
10) Carlos Sainz (Espanha), Toro Rosso STR12-Renault, 1’5″728
11) Nico Hulkenberg (Alemanha), Renault RS 17, 1’5″59
12) Fernando Alonso (Espanha), McLaren MCL32-Honda, 1’5″602
13) Stoffel Vandoorne (Bélgica), McLaren MCL32-Honda, 1’5″741
14) Daniil Kvyat (Rússia), Toro Rosso STR12-Renault 1’5″884
15) Kevin Magnussen (Dinamarca), Haas VF17-Ferrari,  sem tempo
16) Jolyon Palmer (Grã-Bretanha), Renault RS 17, 1’6″345
17) Felipe Massa (Brasil), Williams FW40-Mercedes, 1’6″534
18) Lance Stroll (Canadá), Williams FW40-Mercedes, 1’6″608
19) Marcus Ericsson (Suécia), Sauber C36-Ferrari, 1’6″857
20) Pascal Wehrlein (Alemanha), Sauber C36-Ferrari, 1’7″011

(*) Penalizado com a perda de cinco posições no grid por ter trocado a caixa de câmbio.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.