Force India provoca Renault

Force India provoca Renault

Mallya responde a Abiteboul no lançamento do VJM10. Modelo será acertado durante a temporada. Perez, Ocón e Celis confirmados para 2017,

Wagner Gonzalez

22 Fevereiro 2017 | 12h56

Vijay Mallya contestou provocações de Cyril Abiteboul (Sahara Force India)

Vijay Mallya contestou provocações de Cyril Abiteboul (Sahara Force India)

A apresentação do novo VJM10, o carro da equipe Sahara Force India para a temporada 2017 da F-1, foi marcada pela réplica de Vijay Mallya às declarações feitas por Cyril Abiteboul com relação ao novo status quo da categoria. Segundo o dirigente francês, o campeonato deste ano será dos mais difíceis para equipes com menor poder econômico devido aos recursos necessários para desenvolver os carros construídos sob um novo regulamento técnico. A Renault tem uma das maiores fabricantes de automóveis por trás, enquanto a Force India é conhecida por ter orçamento anual equivalente a um quarto, ou menos, dos times mais fortes, o que provocou uma reação contundente do empresário indiano:

“Esta manhã eu li um artigo em que Cyril Abiteboul, da Renault, dizia que as equipes menores, como a Force India, serão prejudicadas por ter menos armas que as grandes. Desejo boa sorte a ele e acredito que Abiteboul terá que engolir o que falou…”

Traseira do VJM10 mostra a barbatana de tubarão caracerística dos carros da F-1 2017 (Sahara Force India)

Traseira do VJM10 mostra a barbatana de tubarão caracerística dos carros da F-1 2017 (Sahara Force India)

Segundo o empresário indiano “o sucesso não vem da quantidade de armas que você tem, mas da qualidade das armas que você possui“. A Force India terminou a temporada de 2016 em quarto lugar entre os construtores, à frente de equipes como a Williams e McLaren, enquanto a Renault ficou em oitavo lugar ao final de uma temporada marcada por seu retorno à categoria na qualidade de construtor. Os planos de Mallya para 2016 são ainda mais ambiciosos:

“Nosso objeto sem dúvida será ficar entre os três primeiros, e vamos com tudo em busca disso”.

O estilo do bico dianteiro já se tornou a imrpessão digital dos caros da Force India (Sahara Force India)

O estilo do bico dianteiro já se tornou a impressão digital dos carros da Force India (Sahara Force India)

O novo VJM10 tem como características de identificação o bico com orifícios duplos – detalhe herdado do modelo de 2016 -, e um degrau na junção da carenagem dianteira com o monocoque. A asa dianteira com seis elementos de laminação do fluxo de ar nas extremidades externas é outro ponto interessante do projeto.

Os pilotos da equipe para esta temporada são os mexicanos Sérgio Pérez e Adolfo Cellis Jr e o francês Estebán Ocón. Ao comentar suas expectativas para 2017 Pérez declarou que nenhum carro provocou motivação igual ao que ele sentiu ao ver no novo VJM 10:

“É um carro bonito e bem construído, ele impressiona positivamente. Além disso, estou numa equipe que tem uma organização e uma estrutura bastante estáveis, o que ajuda bastante no dia-a-dia. Sobre a temporada, posso dizer que os pneus e asas mais largos deste ano vão exigir muita atenção em circuitos como Mônaco e Baku…”

Sérgio Checo Pérrez e Estebán Ocón, os pilotos oficiais da equipe (Sahara Force India)

Sérgio Checo Pérrez e Estebán Ocón, os pilotos oficiais da equipe (Sahara Force India)

Por causa das maiores aderência e estabilidade, principalmente nas curvas, provocadas pelos pneus e asas mais largos, tanto ele quanto o francês de origem catalã Estebán Ocón aumentaram o ritmo de seus programas de preparação física.

“Estamos treinando cerca de 10 horas semanais com foco em resistência física e outro tanto com exercícios voltados para o sistema cardiovascular”, comentou Ocón, que tem amplas ligações com a Mercedes. Como consequência desse condicionamento físico intenso ele diz ter ganho “cinco quilos de massa. Já estou usando camisas dois números maior por causa do tamanho do meu pescoço…”

Adolfo Celis Jr, que já fez testes pela equipe em 2016, foi confirmado como piloto reserva, o que ajuda a manter vários patrocinadores mexicanos na equipe. Tal como os dois carros já apresentados este ano – Renault RS17 e Sauber C36 -, o Force India VJM 10 também vai aparecer bem diferente em Melbourne, onde a temporada começa dia 26 de março. A explicação, segundo Mallya, é simples:

“Assim como a Sahara Force India, eu sei que todas as outras equipes irão desenvolver os carros durante toda a temporada. Afinal, estamos começando o ano a partir de uma folha em branco. Por isso mesmo, só mesmo na Austrália é que teremos uma ideia aproximada do nível de cada competidor.”