Pedro Piquet espera temporada equilibrada

Pedro Piquet espera temporada equilibrada

Filho mais jovem do tricampeão aposta na regularidade para se dar bem este ano.

Wagner Gonzalez

10 de maio de 2019 | 08h30

Não faz muito tempo e Pedrinho era mais um jovem kartista que demonstrava bom potencial nas pistas nacionais. Neste fim de semana o filho mais novo do tricampeão mundial Nelson Piquet dá um passo importante em seu plano de vôo rumo à tão sonhada F-1. Próximo de completar 21 anos, idade que atingirá no dia 3 de julho, Pedro Piquet inicia neste fim de semana sua segunda temporada na renovada categoria GP3, este ano rebatizada de F-3. Demonstrando maturidade acima da média para um jovem de sua idade, ele evita identificar favoritos antes do campeonato começar:

“O aprendizado do ano passado me ajudou muito a me preparar para este ano, principalmente no quesito de andar na pista: com pouco treino é importante você chegar em cada circuito e andar rápido desde as primeiras voltas. Vejo uma temporada muito equilibrada”

Pedro Piquet: “Cinco ou seis voltas bastaram para me acostumar com o halo” (fotos FIAF3 Media)

Sua segurança ganha corpo quando ele comenta que bastaram “cinco ou seis voltas” para se acostumar com o halo,o arco de proteção instalado em torno do cockpit e uma das novidades do carro deste ano, e que ainda é muito cedo para entender quais serão os principais nomes da temporada.

“Nos testes da pré-temporada cada um faz o que quer, a gente vai ver como será o campeonato na primeira corrida, em Barcelona. Nós tivemos alguns problemas nesse começo, mas vamos seguir com o nosso programa. Por enquanto posso dizer que vejo uma temporada muito equilibrada, onde nenhum piloto vai se destacar.”

Com nova aerodiãmica, carros da F-3 ganharam mais aderência.

Os problemas foram fruto de trabalhar com um carro novo, que embora tenha mantido chassi, motor e câmbio, ganhou pneus mais duros e aerodinâmica mais eficiente, o que permitiu contornar mais rápido as curvas de média e alta velocidade e ter algum prejuízo nas de mais lenta,

“O carro tem mais pressão aerodinâmica, mas com a adoção do halo ficou mais pesado e nas curvas lentas, onde essa pressão é menor, seu comportamento ficou um pouco diferente. Com relação aos pneus será importante aquece-los da melhor maneira e aproveitar esse grippara conseguir uma volta boa pois em seguida eles se degradam.”

Aquecimento correto dos pneus será chave para conseguir boas posições de largada,

Além de aproveitar bem os pneus Pedro Piquet acredita que a regularidade de resultados “entre os seis, oito primeiros”será a chave para fazer uma temporada e com isso progredir para a F-2, a ante-sala da almejada F-1.

“Com exceção dos pneus mais duros e do carro com mais aderência, a mudança foi apenas no nome e no grid: osorganizadores são os mesmos e todo mundo que trabalha na organização do campeonato continua o mesmo.  A categoria ganhou novas equipes, tornou-se mais competitiva e por isso não vejo um piloto dominando a temporada. O Leonardo Pulcinni (piloto da equipe Hitech que faz sua terceira temporada na categoria) e os carros da Prema foram bem, mas vamos ver o que acontece quando o calor chegar: até agora todos os testes aconteceram em clima frio…”

Pedro Piquet e Felipe Drugivich (D) tem sonho comum: a almejada F-1.

O caminho para a F-1 é o sonho dos 30 pilotos que disputarão a temporada, entre eles outro brasileiro, Felipe Drugovich que estreia na categoria.Pedro Piquet não esconde que esse sonho tem um preço alto:

“Todos os pilotos que estão na F2 e na F-3 visam a F-1, mas todos sabem que é muito difícil entrar. Você pode até ganhar nas duas categorias, mas pode acbar não entrando na F-1 se o momento não for o certo.”

Tudo o que sabemos sobre:

Pedro PiquetFIA F3Felipe Drugovich

Tendências: