Punições na Stock seguem surpreendendo

Punições na Stock seguem surpreendendo

Na etapa de Goiânia Thiago Camilo ganhou mas não levou; Zonta herdou vitória

Wagner Gonzalez

20 de maio de 2019 | 11h21

Considerada a categoria mais importante do País, a Stock Car tem tudo para ser considerado o campeonato modelo do calendário nacional: equipes bem estruturadas, grandes patrocinadores, organização profissional e transmissão de suas etapas ao vivo pela TV. Infelizmente essa receita de sucesso acaba diluída por alterações desportivas, eventualmente também logísticas, impróprias para consolidar o produto no lugar que merece. Na temporada atual já foram disputadas cinco provas e duas delas tiveram resultados alterados dias ou horas depois que a bandeira quadriculada sinalizou o final das corridas. Se é indiscutível que regulamentos devem ser respeitados, a forma como as punições são impostas e anunciadas deixam muito a desejar. No ano passado alterações no calendário surpreenderam os participantes da especialidade.

Thiago Camilo venceu a primeira corrida praticamente de ponta a ponta (Luis França)

O resultado da terceira rodada da temporada atual, disputada ontem no Autódromo Ayrton Senna, em Goiânia (foro de abertura/Duda Bairros), ganhou ares de revanche ao envolver o vencedor da primeira bateria, Thiago Camilo, e Ricardo Zonta, pilotos que, coincidentemente, são patrocinados pela Ipiranga e Shell, marcas líderes na distribuição de combustíveis no País. O resultado da prova foi impresso às 13:47, quatro minutos após Camilo ter recebido a bandeirada de chegada com 1”915 de vantagem sobre Zonta. Nesse documento constavam as punições impostas a Bia Figueiredo (20”no tempo de prova) e Felipe Lapenna (drive-through) ambos por queima de largada.

Resultado da primeira bateria apontou infrações de dois pilotos: Bia e Lapenna (chrono.com.br)

Cerca de seis horas mais tarde, às 19:26, a assessoria de imprensa da categoria divulgava novo comunicado informando as punições impostas pela Confederação Brasileira de Automobilismo a Thiago Camilo e Ricardo Maurício, decisão que alterou resultado da corrida e a situação do Campeonato.  Até então Daniel Serra e Rubens Barrichello estavam empatados nos pontos. O curioso dessa história é que as punições aconteceram na mesma largada que puniu Bia e Lapenna pelo mesmo motivo: queima de largada.

Zonta considerou “amargo” herdar a vitória com a punição a Camilo (José Mário Dias)

O que dá para motivos para críticas é que Thiago Camilo e Ricardo Maurício foram punidos quase seis horas mais tarde. Os mais céticos gritarão que o desempenho dos comissários da CBA está melhorando: afinal, a desclassificação de Ricardo Zonta nas duas corridas do Velo Città foi anunciada 11 dias após a divulgação do resultado oficial da prova: 15:01 de 5 de maio de 2019. Até a manhã desta segunda-feira, 20 de maio, Daniel Serra ocupa a liderança do campeonato com 106 pontos, um a mais que Rubens Barrichello; Ricardo Maurício aparece em terceiro, com 78. A próxima corrida está marcada para o dia 9, em Londrina (PR).

Daniel Serra, atual bicampeão da Stock Car, segue liderando o campeonato após três etapas (José Mário Dias)

Tendências: