Ricciardo na Renault destrava mercado

Ricciardo na Renault destrava mercado

Australiano será o primeiro piloto da equipe francesa. Sainz será dispensado.

Wagner Gonzalez

03 Agosto 2018 | 20h32

Red Bull ainda não definiu quem vai substituir o australiano Daniel Ricciardo (RBCP/Getty Images)

Piloto formado na academia da Red Bull, Daniel Ricciardo estreou na F-1 no GP da Grã-Bretanha de 2011 e disputou duas temporadas pela Scuderia Toro Rosso até ser promovido para a equipe Red Bull em 2014. No seu currículo constam até agora 7 vitórias, 29 pódios e 914 pontos acumulados, o que lhe deixa na condição indiscutível de primeiro piloto do time, posição reforçada pelas declarações de Cyril Abiteboul, diretor da Renault Sport:

“O talento e o carisma de Daniel são um grande incentivo para nossa equipe e teremos que retribuir sua fé em nosso time entregando-lhe o melhor carro possível. Daniel é bem-vindo e o recebemos com muito orgulho e, também, humildade.”

Cyril Abiteboul: “a Renault recebe Ricciardo com muita humildade” (Renault)

Por seu lado Ricciardo não escondeu que deixar o ninho da Red Bull foi uma das decisões mais difíceis da sua carreira e o fator decisivo foi o atual estágio de sua carreira:

“Eu creio que este é o momento para assumir um novo desafio. Eu entendo que ainda há um longo caminho para até que a Renault possa competir no nível mais alto, mas toda vez que a marca assumiu essa meta sempre conseguiu alcançar esse objetivo. Espero ajuda-los nessa jornada e contribuir para isso dentro e fora das pistas”.

Daniel Ricciardo se despede da Red Bull após oito temporadas de F-1 (RBCP/Getty Images)

Quem sai, quem fica e quem dança

Com a Mercedes fechada com seus pilotos atuais – Lewis Hamilton e Valtteri Bottas -, a Ferrari dividida sobre quem trabalharaá com Sebastian Vettel – as possibilidades são a permanência de Kimi Räikkönen ou a ascensão de Charles Leclerc – e a própria Red Bull cada vez mais caidinha pelo holandês Max Verstappen, a Renault foi a melhor escolha para Daniel Ricciardo.  Os franceses sempre triunfaram na F-1 como fabricante de motores e certamente querem obter o primeiro titulo de construtorese certamente querem obter o primeiro titulo de construtores após o bi-campeonato conquistado com Fernando Alonso em 2005/6, ambição que atraiu o australiano.

Max Verstappen: saída de Ricciardo lhe garante status de primeiro piloto (RBCP/Getty Images)

A mudança afeta diretamente o espanhol Carlos Sainz Jr, que perde o lugar para o australiano, e cria marolas na McLaren, Toro Rosso, Force India e na própria Red Bull, além de afetar indiretamente a Haas e a Williams. Ainda um piloto apoiado pela marca de energéticos, Sainz poderia voltar para uma das duas equipes patrocinadas pela bebida, mas o cep do seu novo endereço ainda está longe de ficar claro.

Pierre Gasly: jovem francês pode ser promovido da Toro Rosso para a Red Bull (RBCP/Getty Images)

O francês Pierre Gasly já deu mostras de ser um investimento seguro e pode ser promovido da Toro Rosso para a Red Bull, afastando-o das garras de outras equipes. Esta situação implicaria num salto para o lado no currículo de Sainz, a quem sobraria uma vaga na Toro Rosso. Esta combinação garantiria o investimento feito no francês e capitalizaria a experiência do espanhol em uma equipe que já o conhece e que certamente vai dispensar os serviços do neozelandês Brendon Hartley ao final da temporada.

Carlos Sainz Jr: em clima de futuro incerto, McLaren é endereço possível para o espanhol (Renault)

Sainz também é cotado na McLaren, que usa os motores Renault, marca que tem simpatia por seu nome. Aqui tudo vai depender da decisão de Fernando Alonso, veterano que ainda não deixou claro o que quer do futuro: F-1 e WEC, WEC e F-Indy, Indy e WEC…

Vagas na McLaren para 2019 ainda são incógnita no mercado de pilotos (McLaren)

Além de Sainz entram nesta equação o belga Stoffel Vandoorne e o inglês Lando Norris, cada um num cenário diferente: Sainz conta com apoio da marca francesa, Vandoorne está desgastado pelos resultados decepcionantes em consequência dos problemas das fracas temporadas da McLaren e Norris é o novo queridinho de Zak Brown, o diretor do time. Como a equipe vive um momento de arrumação da casa, não será surpresa uma troca total de pilotos.

Christian Horner sinalizou que pode contratar um piloto que não venha da academia Red Bull (RBCP/Getty Images)

O companheiro de Max Verstappen não necessariamente será alguém da academia da Red Bull, como deixou claro o bam-bam-bam Christian Horner no comunicado de imprensa que confirmou a partida de Ricciardo:

“Respeitamos a decisão do Daniel e desejamos o melhor para o seu futuro. Dito isso, continuaremos a avaliar as inúmeras opções disponíveis para definir quem será o parceiro de Max Verstappen em 2019. Enquanto isso, vamos continuar lutando para aproveitar todas as oportunidades de sucesso que se apresentarem para Max e Daniel nas nove provas restantes desta temporada.”

Sérgio Pérez ganha destaque no mercado graças aos seus apoiadores do mercado mexicano (Sahara Force India)

Paralelamente a tudo isso prossegue a novela do futuro da Force India, história que tem tudo das novelas mexicanas e das produções pitorescas e coloridas dos filmes de Bollywood, o polo cinematográfico indiano. As empresas mexicanas que apoiam Sérgio Pérez procuram, em parceria com a Mercedes, a melhor solução para o caso e tentam desligar a organização das mãos de Vijay Mallya, o milionário que teve sua extradição requerida pelas autoridades da Índia e, por isso, não pode sair da Inglaterra, onde permanece livre à custas de várias fianças pagas às autoridades desse país.

Vijay Mallya: estilo de vida nababesco colocou em risco o futuro da sua equipe (Sahara Force India)

Sobra também para a Haas, onde o franco-suíço Romain Grosjean precisa se redimir de muitas batidas e erros para continuar na equipe, e a Williams, cada vez mais próxima de um desfecho que pode incluir a perda de Lance Stroll e seus milhões de dólares canadenses e até mesmo deslocar Claire Williams para um cargo semelhante ao da Rainha do Reino Unido. A distância para isso não é grande: ela é filha de Sir Frank Williams.

Lawrence Stroll pode comprar ações na Force India e tirar Lance da Williams (Williams)