TUDO ISSO POR “APENAS” R$ 0,20?

williamcapita

18 de junho de 2013 | 12h23

Não tenho idade para lembrar muito bem da ditadura, período vergonhoso da nossa recente historia, onde a liberdade de expressão era proibida e qualquer tipo de movimento a favor da democracia, desarticulado violentamente. Varias mortes e inúmeros “desaparecidos”.

Moro em Higienópolis e presenciei como ouvinte, não visualmente, o que se passava nas imediações. A única cena que vi de perto foi a de um cidadão comum, vestido socialmente, fugindo de “alguma coisa”. Alguma coisa que se fez presente segundos depois na forma de bombas explodindo e helicópteros os prédios.

Não é certo comparar uma época a outra, as lutas são diferentes. Se durante a ditadura buscávamos a democracia hoje a luta é em teoria pelo aumento de vinte centavos na tarifa de ônibus. E na prática? Serão os vinte centavos o real motivo de tanto protesto e tanta violência usada pela polícia? Ao olhar mais de perto, os “R$0,20” percebo o que está por trás das manifestações.

Não são os 0,20 centavos. São os gastos com a Copa, que como já prevíamos serão muitos e maiores do que o anunciado quando se idealizava o projeto (que possivelmente não trará nenhum beneficio real ou legado); são os jovens mortos covardemente por causa de celulares; são os profissionais queimados vivos por não terem dinheiro suficiente para darem a assaltantes; são os hospitais que não atendem os necessitados, permitindo que esses morram em suas calçadas; são os impostos altíssimos nos obrigando a trabalhar 5 meses só para pagar nossas obrigações com o fisco; é uma inflação que não para de subir e que o governo insiste em afirmar que não é motivo para preocupação; são as leis que permitem que condenados em ultima instancia, como no caso do MENSALAO, continuem soltos e debochando de nós; são os casos cada vez mais recorrentes de professores ameaçados e até mortos por alunos, que já não sabem nem ler ou/e escrever, porque hoje o mais importante é o aluno estar dentro de uma sala de aula para sermos bem vistos internacionalmente; além de desvios constantes em todas as esferas dos governos municipais, estaduais e federais; etc

Enfim, os “apenas” R$0,20 foram a gota d’agua para um população que é diariamente esquecida por aqueles que deveriam representá-la.

São épocas distintas. Na ditadura a luta era pela liberdade, pela democracia. Hoje talvez seja a luta pelo exercício da democracia, onde o povo opina, participa, cobra e não aceita de maneira omissa as barbaridades do dia a dia.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.