Bom ou ruim?

Wilson Baldini Jr.

11 de abril de 2010 | 02h16

Em ótima forma para quem já está com 47 anos, Evander Holyfield venceu Frans Botha por nocaute técnico no oitavo assalto, em Las Vegas. A luta foi disputada em ritmo lento, mas a vitória do ex-campeão mundial dos pesos pesados foi justa.

Holyfield sempre teve a iniciativa do combate. Preocupado com a esquerda do rival, o norte-americano soltou mais a sua esquerda em ganchos e cruzados. Errou a maioria. Ao contrário de quando era novo, Holyfield soltou menos golpes e se limitou a sequências com no máximo três golpes.

Botha, apesar da enorme barriga, mostrou-se ainda resistente e catimbeiro. Por várias vezes abaixou a guarda e sorriu com deboche para o adversário. Ele também chegou a dar um “telefone” tapa duplo nos ouvidos de Holyfield, que jamais perdeu a calma.

O pequeno público presente ao Thomas & Mack Center era quase todo a favor de Holyfield. O incentivo entusiasmou “The Real Deal”, que acertou bons golpes e uma forte direita em direto na cabeça de Botha no fim do sexto assalto.

No oitavo, Botha já demonstra estar extenuado. Holyfield manteve seu ritmo e disparou uma forte direita, que explodiu na cabeça de Botha, que foi ao chão. Após contagem, a luta foi retomada. Holyfield partiu para cima, aplicou uma dezena de golpes, mas só acertou três. Foi o bastante para o juiz Russel Mora encerrar a disputa.

Holyfield venceu. Isso é bom ou ruim? Será uma temeridade colocá-lo diante dos atuais campeões David Haye (AMB), Vitali Klitschko (CMB) ou Wladimir Klitschko (FIB e OMB) ou chegou a hora dos pesos pesados terem de novo um verdadeiro campeão?

Só o tempo vai dizer.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.