Canelo x Angulo: o juiz se precipitou ou eu?

Wilson Baldini Jr.

10 de março de 2014 | 02h00

Em 1995, eu comentei para a ESPN Brasil a luta entre Gabriel Ruelas e Jimmy Garcia. Um duelo muito parecido com o de sábado entre Saul Canelo Alvarez e Alfredo Angulo. Assim como Canelo, Ruelas espancou Garcia, que parecia não se abalar com o ataque do adversário.

No 11º round, Garcia sentiu tudo que devia e caiu para não mais levantar. Morreu duas semanas depois, após ficar em coma por causa das lesões sofridas no cérebro. O juiz daquela luta foi Mitch Halpern, apontado como um grande talento da arbitragem. Muitos dizem que Halpern nunca mais foi o mesmo depois daquela luta. Ele se suicidou em 2000.

No sábado em Las Vegas, Tony Weeks, 19 anos de boxe profissional e 57 anos de idade, um dos mais respeitados juízes da Comissão Atlética de Nevada, foi orientado pelo médico da luta a parar o combate, caso Angulo continuasse a sofrer castigo.

No décimo round, Canelo acerta dois golpes muito fortes, mas não em sequência antes do upper, que fez Weeks parar de vez a luta. E se a luta continua e Angulo sofre algum dano dias depois? De quem seria a culpa? Mais uma vez do boxe?

Na transmissão do canal Fox Sports, eu disse que Weeks teria se precipitado, mas acho que quem se precipitou fui eu.

PS: Canelo vencia nas papeletas de forma unânime: dois jurados apontavam 89 a 82 e outro 88 a 83.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: