Como é bom ser criança

Como é bom ser criança

Wilson Baldini Jr.

27 de junho de 2009 | 02h13

Tenho um sobrinho de 18 anos que o considero meu filho mais velho. A vida corrida nos impede de estarmos mais vezes juntos, mas no sábado passado, pude brincar com ele de videogame. Ele estava com o “demo” do Fight Night Round 4. Uma loucura! As lutas são praticamente reais. O jogo completo terá o duelo entre Tyson e Ali.

Joguei com o Ricky Hatton e meu sobrinho com o Manny Pacquiao. Estava perdendo a luta no segundo assalto. Tomando uma surra, afinal não sei jogar videogame. No desespero, acertei um lindo upper de direita no queixo do Pacquiao. Ele bambeou e eu segui no ataque até derrubá-lo. Eu me senti um verdadeiro campeão. Pena que era só um jogo.

Cena do jogo Fight Night Round 4, da EA Sports

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: