Em Osasco, uma noite terrível para Lino Barros

Wilson Baldini Jr.

27 de outubro de 2013 | 11h35

A luta contra o norte-americano Felix Cora Jr., sábado à noite, em Osasco, seguia morna e a favor do brasileiro Lino Barros. Com isso, ele mantinha o cinturão latino dos cruzadores e ainda seguiria sonhando com o título mundial. Mas uma tática paciente, de espera do melhor momento, fez o lutador dos Estados Unidos acertar ótima sequência para obter uma violenta vitória no décimo-primeiro round.

Lino caiu de cara no tablado e precisou ser atendido pelos médicos no ringue. Logo depois se recuperou e até conversou com o apresentador Michael Buffer.

Aos 37 anos, fica a dúvida: será que Lino terá força para seguir a carreira?

Durante a luta, o que se viu foi um Lino burocrático, sem inspiração, que vinha vencendo, mas que corria o risco de sofrer um contragolpe. Foi o que aconteceu.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: