Mae Gueri (chute frontal) vira golpe cinematográfico

Wilson Baldini Jr.

07 de fevereiro de 2011 | 17h22

Impressionnate a falta de preparo de alguns meios de comunicação na cobertura das lutas em geral. Descrito como “golpe cinematográfico”, o golpe que derrubou Vitor Belfort na madrugada de domingo nada mais é que o Mae Gueri, um golpe tão velho quanto as artes marciais. Antes que me acusem de má vontade contra o MMA, fui buscar alguém de gabarito para embasar minha opinião.  

Conversei com Ademir da Costa, uma lenda do Karatê. “O Vitor não poderia ter caído com um mae gueri. É um golpe preparatório, não é finalizador. O Vitor estava muito concentrado, mas nervoso, sob pressão, o que é normal em um momento tão importante”, disse Ademir, que destacou a tranquilidade de Anderson.

O problema é como está sendo vendido o golpe. O Anderson, brincalhão como sempre, disse que aprendeu o chute com o “mestre” Steven Seagal. Pode ter aprendido, mas não foi invenção do “mestre”. O Mae Gueri é o jab do karatê. Para quem conhece luta, só serviu para mostrar que Belfort não estava preparado para a “luta do século”. Uma pena.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.