Newton Campos e CMB: ajuda para o boxe brasileiro

Wilson Baldini Jr.

31 de outubro de 2013 | 19h56

Newton Campos, presidente da Federação Paulista de Boxe e vice-presidente vitalício do Conselho Mundial de Boxe, viaja nesta sexta-feira à noite para Bangcoc, na Tailândia, onde vai participar da convenção da entidade que ajudou a inaugurar há 51 anos.

Newton afirmou que nos sete dias de trabalhos vai tentar ajudar os boxeadores brasileiros a melhorarem suas posições no ranking da entidade. “Temos vários lutadores que merecem um lugar de maior destaque no ranking”, disse o veterano dirigente.

Em cada uma das 17 categorias, o Conselho Mundial de Boxe classifica 40 pugilistas. O Brasil só tem cinco lutadores ranqueados. Laudelino Barros, que perdeu sábado, é o 13º colocado entre os cruzadores. No mesmo peso, William Bezerra é o 22º.

Nos médios-ligeiros, Michael Oliveira é o sétimo, enquanto Patrick Teixeira é o 22º. “Vamos trabalhar para colocar o Patrick num patamar mais elevado. Ele é o melhor lutador brasileiro da atualidade”, afimrou Newton Campos.

Já entre os penas, Giliard Paulino aparece em 29º lugar.

Jose Sulayman, presidente do CMB desde 1975, não estará presente. Ele se submeteu a uma cirurgia nos EUA e segue em recuperação.

Sergio Martínez, Miguel Cotto, Jeff Fenech, Nigel Benn, Ricky Hatton, Humberto ‘Chiquita’ González, Carlos Zárate e Lupe Pintor são algumas das personalidades que confirmaram presença.

Tudo o que sabemos sobre:

Conselho Mundial de BoxeNewton Campos

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.