O invicto Tyson Fury não empolga

Wilson Baldini Jr.

02 de dezembro de 2014 | 17h23

Aos 26 anos, o britânico Tyson Fury soma 23 vitórias, com 17 nocautes. Profissional desde 2008, impressiona com os 2,06 metros de altura e os 2,16 metros de envergadura. Mas basta soar o gongo para que a expectativa inicial se torne em frustração para os amantes da nobre arte. Pesadão, lento, previsível, suas lutas são sonolentas. A de sábado, quando venceu Derek Chisora não foi diferente. Difícil aguentar até o décimo round.

Wladimir Klitschko, que de bobo não tem nada  – apesar de que considero suas lutas tão sonolentas quanto às de Fury – já planeja uma luta contra o britânico para o início do segundo semestre de 2015.

Fury não está no nível de Deontay Wilder e Bermane Stiverne – que devem lutar no início do ano. Ele deveria encarar Anthony Joshua, campeão olímpico em Londres, que soma dez vitórias por nocaute no profissionalismo. Mas eu duvido que ele aceite um desafio caseiro tão grande sem valer pelo título mundial.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.