O mundo não esquece de Eder Jofre

Wilson Baldini Jr.

23 de junho de 2009 | 11h04

Faz 33 anos que Eder Jofre pendurou as luvas. Mesmo assim, o mundo do boxe não esquece um de seus maiores talentos. Isso não é dito por um saudosista jornalista brasileiro. É só acompanhar o noticiário internacional.

O jornalista Cliff Rold, que é membro da Associação de Escritores de Boxe dos Estados Unidos, fez uma matéria sobre o ressurgimento da categoria dos pesos galos.

Falou de Fernando Montiel, Juan Manuel Lopez, Vic Darchinyan, Cristian Mijares, entre outros. Grandes lutadores da atualidade. Mas começou dizendo que não queria comparar nenhum deles com o maior peso galo da história: Eder Jofre. Que legal!

Aí eu recordo das lutas do Eder, já em fim de carreira (de calção rosa, lembram?), quando meu pai era publicitário da TV Tupi e vendia os patrocinadores para as lutas serem passadas no “Canal 4”. “Calma Eder! Não derruba ainda”, gritava o seo Baldini, com medo que o Galo de Ouro terminasse logo o combate e o patrocinador não aceitasse pagar todo o valor do patrocínio. “Tem de chegar pelo menos no quarto assalto”, torcia meu pai.

Que saudade!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: