Roy Jones, que tristeza!

Wilson Baldini Jr.

22 de maio de 2011 | 00h13

Por mais que um nocaute seja violento, dificilmente me impressiono, após tantos anos acompanhando as lutas. Mas o nocaute sofrido por Roy Jones Jr. diante de Denis Lebedev, no décimo assalto, em Moscou, me deixou triste. Como podem deixar uma lenda do boxe ser espancada? Até quando? Jones não consegue enxergar, aos 42 anos, que seu tempo passou. Seu corpo, exigido ao extremo no auge da juventude, agora não responde mais, ao contrário de outros pugilistas.

Jones caiu e assustou a todos. Sua sorte foi Lebedev diminuir o ritmo pouco antes do nocaute. O juiz Steve Smoger não foi bem. Deveria ter encerrado quatro golpes antes, impedindo um castigo desnecessário e perigoso. Chega Jones!!!!! Não destrua tudo que você construiu em cima do ringue. Deixe-nos lembrar de seus grandes momentos. A vitória sensacional sobre John Ruiz, que valeu o título mundial, com peso de cruzador. O jogo de pernas excepcional. Os golpes rápidos e a esquiva impressionante.

O tempo venceu, Jones. Ele sempre vence. E com você não foi diferente.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.