TV aberta nos EUA aposta no boxe

Wilson Baldini Jr.

25 de dezembro de 2011 | 22h07

O boxe brasileiro vive eternamente na esperança do surgimento de um campeão. Mas nos Estados Unidos a nobre arte segue em destaque, apesar do crescimento do MMA (mistura de artes marciais). O canal ESPN anunciou que vai transmitir 30 programações especiais no semanal e tradicional Friday Night Fights (FNF). O primeiro evento será dia 6, no Mallory Square, em Key West, na Flórida. A luta principal vai reunir os médios Dyah Davis, filho de Howard David, campeão olímpico em 1976, e Alfonso Lopez. De janeiro a agosto de 2010, o FNF teve 497 mil espectadores. Ano passado, no mesmo período, foram 543 mil. Em 2012, a expectativa é de atingir 700 mil.

O canal NBC também programa entre 20 e 30 eventos de boxe em 2012. “Estamos muito contentes em voltar a organizar noitadas de boxe”, disse Jon Miller, presidente de programação da NBC Sports e NBC Sports Network. A primeira data é a de 21 de janeiro, com o duelo principal entre os os pesos pesados Eddie Chambers e o ex-campeão mundial pela Organização Mundial de Boxe (OMB) Sergei “White Wolf” Liakhovich.
Se o boxe ganha espaço na TV aberta, não perde na fechada. HBO e Showtime brigam a cada sábado com um grande combate.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.