Wilder e Stiverne lutaram machucados

Wilson Baldini Jr.

20 de janeiro de 2015 | 03h05

Deontay Wilder e Bermane Stiverne lutaram machucados, sábado passado, em Las Vegas. Na oportunidade, Wilder venceu por pontos e conquistou o título mundial dos pesados do Conselho Mundial de Boxe.

Exames logo após a luta revelaram que Wilder sofreu uma fratura na mão direita. “Acho que foi no terceiro ou quarto round”, disse o norte-americano, que também machucou o olho esquerdo durante treinamento.

Com Stiverne o caso foi mais grave. O haitiano disse após a luta que não se sentia bem durante o combate. Stiverne foi incapaz de aquecer adequadamente. O haitiano foi hospitalizado por duas noites no University Medical Center depois da luta, bastante desidratado e diagnosticado com rabdomiólise.

O ex-campeão dos pesados do UFC Junior Cigano sofreu de rabdomiólise após a derrota para Cain Velasquez no UFC 155, em 2012, em Las Vegas.

A rabdomiólise é uma condição em que as fibras musculares morrem e são liberadas na corrente sanguínea. Uma das causas é o esforço físico extremo. “Ao fazer o exame antidoping notei que minha urina estava muita escuro”, disse Stiverne. “Eu pensei que era sangue. Liguei para o meu empresário (Camille Estephan) e (treinador Don] House. Quando cheguei ao hospital, eu descobri que não era sangue. Era uma lesão muscular. “

Tudo o que sabemos sobre:

Bermane StiverneDeontay Wilder

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.