Ability de olho na NBA e no Vasco

O Brasil, que aos poucos vai conquistando seu espaço dentro das quadras de basquete da NBA, voltou a inovar e se tornou o primeiro país a ter um agente atuando no restrito mercado de um dos principais esportes norte-americano. Agora, aos 28 anos, Fred Souza, diretor da Ability Sports&Management, se prepara para um novo desafio: o de firmar uma parceria com o Vasco, com o aval do artilheiro Romário, principal intermediário da negociação."Foi engraçado, porque quando liguei para eles, nem a atendente soube me dizer se um estrangeiro poderia conseguir a credencial. Depois de uma semana recebi uma ligação da Associação dos Jogadores da NBA (responsáveis pelas permissões) dizendo que não haveria problema", contou Souza, que passou por provas escrita e oral de Língua Inglesa e de questões subjetivas. "Fui bem recebido. Eles não se incomodam com a concorrência. Querem é divulgar o basquete americano." Apesar de Souza só ter recebido a credencial este ano, o empresário já atuava no mercado norte-americano, em parceria com um escritório de agenciamento de atletas, que arrecada cerca de US$ 160 milhões por ano. O pivô Ben Wallace, do Detroit Pistons, com um faturamento anual de US$ 9 milhões, e o ala Eric Snow, do Cleveland Caveliers, US$ 6 milhões, são dois atletas que trabalham com Souza, frutos da parceria. Em 2005, ele já acertou o agenciamento de um brasileiro que está atuando na atual temporada da NBA."Não posso revelar o nome por questões éticas. Lá, o respeito entre os agentes é muito grande", afirmou Souza. "Posso dizer que também vou indicar atletas para o draft (processo de seleção de novos jogadores para a NBA). Um deles é o Alexandre (ala/pivô, de 21 anos e 2,02m), do Corinthians/UMC. Agora, não vou roubar jogador do clube. Se o jogador for aprovado, os clubes que decidirão como será a transferência", diz.Além de iniciar um trabalho nos Estados Unidos, onde abrirá um escritório em Los Angeles, única exigência feita para receber a credencial de agente, Souza também tem planos no Brasil. Já é empresário de aproximadamente dez jogadores e, em 2005, quer montar um time de basquete masculino para disputar o Campeonato Carioca e tentar uma vaga no Nacional.Fundada em 1999, a Ability entrou no mercado esportivo priorizando o futebol. Iniciou uma parceria com o Mesquita, no Rio, e, no final do ano passado, com a Portuguesa. A empresa, que também esta gerenciando carreiras no surf e se prepara para montar uma equipe de atletas para o Pan-Americano de 2007, tem escritórios na França, Espanha, Portugal, México e Turquia.Para 2005, além de permanecer na Portuguesa, o objetivo no futebol é o de estabelecer uma parceria com um novo clube. Juventude, Criciúma e Fluminense disputam para ser o beneficiado, mas é o Vasco, com Romário, que está liderando as negociações."Tivemos um convite seríssimo do Vasco, conversarmos e até acertamos valores, mas ainda não finalizamos as negociações", frisou Souza. "O Romário me disse que se fosse para o Vasco gostaria da minha companhia. Ele viabilizou meu encontro com o Eurico (Miranda, presidente), mas a parceria com o clube não tem nada a ver com a ida dele para lá."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.