'Acho que teremos muito sucesso nesta temporada', diz Dwight Howard

Pivô do Houston confia que equipe vai brigar pelo título da NBA

Guilherme Dorini, Marcius Azevedo e Renan Fernandes, O Estado de S. Paulo

27 de outubro de 2013 | 07h30

SÃO PAULO - Polêmico, talentoso, arrogante, fenomenal, irreverente... Dwight Howard foi rotulado muitas vezes ao longo de sua carreira na NBA, onde está desde 2004, quando saiu diretamente da Southwest Atlanta Christian Academy - não passou pela Universidade - para ser escolhido como número 1 do draft pelo Orlando Magic. O Superman, apelido do jogador de 2,11m, acumulou ainda muitos prêmios individuais, principalmente pelo desempenho defensivo. Falta colocar no dedo o anel de campeão.

Agente livre mais cobiçado da temporada que começa na terça-feira - seis equipes apresentaram proposta oficial -, o pivô decidiu se mudar de Los Angeles para Houston. Nos Rockets, ao lado de jogadores jovens e talentosos e, assim como ele, com obsessão de conquistar o primeiro título, Howard confia que pode ser campeão, conquistando o que lhe foi furtado na final de 2009, quando foi derrotado pelos Lakers. O jogador, que tem sua carreira administrada pela Relativity Sports, empresa do influente agente Dan Fegan e que conta com participação do brasileiro e ex-jogador da seleção Aylton Tesch, quer provar que tomou uma decisão acertada ao ir para o time texano após uma temporada frustrante ao lado de Kobe Bryant, Steve Nash e Pau Gasol.

Em entrevista exclusiva ao Estado, Howard não quis mais comentar mais sobre sua passagem pelos Lakers, muito menos sobre o seu relacionamento com Kobe. O Superman prefere olhar para frente, apostar em um futuro promissor em sua nova casa. O pivô confia que o Houston está entre os favoritos, com chances significativas de interromper o reinado do bicampeão Miami Heat.

Howard comenta ainda sobre como será disputar o garrafão com os pivôs brasileiros - Tiago Splitter (San Antonio Spurs), Anderson Varejão (Cleveland Cavaliers), Nenê (Washington Wizards) e Vitor Faverani (Boston Celtics) - e revela o desejo de estar no Brasil para disputar os Jogos Olímpicos do Rio, em 2016.

Qual a sua expectativa para a temporada 2013/2014 da NBA?

DWIGHT HOWARD - Eu espero uma ótima temporada, eu acho que teremos muito sucesso. Eu quero ganhar o campeonato, o título é tudo que importa. Também almejo o prêmio de Defensor do Ano para estar novamente no topo.

Em que momento você decidiu escolher o Houston Rockets?

DWIGHT HOWARD - Eu decidi depois de me reunir com o Houston e eles me apresentaram o melhor plano. Os jogadores, a cidade, que um ótimo lugar, e o técnico Kevin McHale foram fundamentais também para a minha escolha.

Como você imagina que funcionará em quadra o quarteto formado por você, James Harden, Jeremy Lin e Chandler Parsons?

DWIGHT HOWARD - Eu acho que todos nós temos muitas habilidades, estou animado para ajudá-los, fazer com que o time melhore cada vez mais e esperançoso para ver até onde podemos ir.

Você imagina que vai se encaixar no esquema de jogo do técnico Kevin McHale?

DWIGHT HOWARD - Sim, ele é um grande treinador. Ele entende o meu jeito de jogar e estou feliz de poder fazer parte desse grande time. Acho que Kevin vê muito potencial em mim e como eu posso crescer como jogador. Estou tão excitado por tê-lo como meu técnico e ter a oportunidade de realmente aprender e crescer por ele.

Você vê problema em atuar na posição 4 em vez da 5 em alguns momentos dos jogos para atuar em uma formação com o pivô turco Omer Asik?

DWIGHT HOWARD - Eu acho que isso pode tornar nossa equipe mais dura. Vamos precisar que eu jogue como um ala de força em alguns jogos para que o Asik assuma como pivô. Vamos ter uma escalação mais alta e isso vai tornar o arremesso rival mais difícil.

Os quatro brasileiros confirmados na temporada são pivôs e, nos anos anteriores você enfrentou três deles, Como é dividir o garrafão com eles?

DWIGHT HOWARD - Eles jogam duro, são ótimos jogadores e é sempre difícil enfrentá-los.

O que você acha dessas partidas de pré-temporada da NBA ao redor do mundo?

DWIGHT HOWARD - Acho ótimo. É uma boa oportunidade para a NBA expandir sua marca pelo mundo inteiro e, além disso, é uma ótima chance para interagirmos com pessoas de outras culturas.

Tem como objetivo ir ao Mundial da Espanha no ano que vem?

DWIGHT HOWARD - Se eu não estiver lesionado, eu irei. Quando eu fui para as Olimpíadas, em Pequim 2008, eu me divertir bastante e eu carrego a medalha de ouro comigo. Eu estou ansioso para o mundial.

Você almeja vir ao Brasil para disputar os Jogos Olímpicos de 2016?

DWIGHT HOWARD - Desejo sim. Eu nunca estive no Brasil, mas já vi em filmes, conheço algumas histórias, sei que é um lugar muito bonito e adoraria poder estar presente nos Jogos Olímpicos de 2016.

Em 2014 teremos a Copa do Mundo aqui no Brasil. Você acompanha futebol?

DWIGHT HOWARD - Sei quem é Pelé, acho que ele é do Brasil, não é? Isso é tudo que sei sobre futebol. Definitivamente, não sou um grande fã do esporte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.