Reprodução
Reprodução

All-Star Game em Orlando após 20 anos

Relembre a atuação histórica de Magic Johnson, depois de voltar da aposentadoria, em 1992

Marcius Azevedo, estadão.com.br

24 de fevereiro de 2012 | 13h17

SÃO PAULO - O All-Star Game volta a Orlando depois de 20 anos. Kobe Bryant, Derrick Rose, Lebron James e outra dezena de estrelas da atual liga estarão em quadra. Mas, mesmo com todo o talento disponível, dificilmente eles vão repetir o que se viu no encontro entre as seleções do Leste e Oeste em 1992.

Aquela foi uma noite de magia. Ou melhor, de Magic Johnson. O armador, que havia se declarado poucos meses antes, no dia 7 de novembro de 1991, ser portador do vírus HIV, voltou da aposentadoria para ter uma atuação histórica. Mesmo sem jogar naquela temporada, ele foi mais votado do que todos os outros jogadores da Conferência Oeste e recebeu um convite especial para atuar no All-Star.

Em quadra, Magic foi mágico como costumava ser com a camisa 32 do Los Angeles Lakers. Mais do que os 25 pontos, cinco rebotes e nove assistências na vitória do Oeste sobre o Leste por 153 a 113, ele protagonizou três momentos que serão lembrados pela eternidade.

No primeiro, ele chama Isiah Thomas para uma disputa um contra um. E evita que ele faça a cesta. Depois, no ataque seguinte da seleção do Leste, Magic faz o mesmo com Michael Jordan. A bola bate no aro para delírio do armador. Não satisfeito, ele, marcado por Isiah Thomas, acerta um incrível arremesso de três pontos para selar sua atuação magistral.

Não à toa, Magic foi eleito o MVP (Most Valuable Player) daquela partida, que entrou para a história do esporte como uma lição de basquete e de vida.

Tudo o que sabemos sobre:
basqueteNBAMagic JohsonAll-Star Game

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.