Eric Gay/AP
Eric Gay/AP

Alvo de homofobia em quadra, árbitro da NBA revela ser homossexual

Bill Kennedy foi aplaudido no jogo desta segunda-feira

Estadão Conteúdo

15 de dezembro de 2015 | 10h16

O veterano árbitro da NBA Bill Kennedy revelou ser homossexual após Rajon Rondo, armador do Sacramento Kings, o insultar com termos considerados homofóbicos durante uma partida realizada na Cidade do México.

Em declarações ao site Yahoo Sports, Kennedy disse que ele está "orgulhoso de ser um árbitro da NBA e de ser homossexual". Ele acrescentou que tinha decidido manifestar a sua orientação sexual com a esperança da enviar uma mensagem. "Você não deve deixar ninguém que faça você se sentir envergonhado de quem você é", acrescentou Kennedy.

A NBA suspendeu Rondo por uma partida por insultar o árbitro no jogo em que o Kings enfrentou o Boston Celtics em 3 de dezembro na capital mexicana. Na segunda-feira, Rondo pediu desculpas e o Kings reconheceu que os comentários foram desrespeitosos e ofensivos.

Kennedy está em sua 18ª temporada como árbitro na NBA. Ele já trabalhou em mais 1.050 jogos da temporada regular e em cinco das finais da liga. "Nós sinceramente apoiamos a decisão de Bill, de viver a sua vida de modo orgulhoso e aberto", disse o comissário da NBA, Adam Silver, em um comunicado.

"Durante seus 18 anos na liga, Bill se destacou como árbitro por sua paixão, dedicação e coragem. Estas qualidades continuarão a ajudá-lo como árbitro deste esporte e como uma influência positiva para os outros. Embora nossa liga tenha feito grandes progressos, o nosso trabalho segue consistindo em garantir que todos sejam tratados com respeito e dignidade".

Kennedy trabalhou na última segunda-feira no triunfo do San Antonio Spurs sobre o Utah Jazz, em casa, e foi aplaudido pelos torcedores quando apareceu no telão do ginásio com os demais árbitros quando teve o seu nome anunciado.

A liga demorou mais de uma semana para anunciar a punição a Rondo, que nesta terça-feira ficará fora do duelo entre Kings e Houston Rockets. O Yahoo Sports informou que Kennedy e outro árbitro disseram aos investigadores que Rondo usou vários insultos, alguns de índole homofóbica.

Rondo escreveu no Twitter que suas ações durante a partida "foram derivadas da frustração e da emoção". "De jeito nenhum refletem meus sentimentos para a comunidade LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros)", declarou Rondo. "Eu não tive a intenção de ofender ou faltar com respeito a ninguém".

Tudo o que sabemos sobre:
basqueteárbitroNBA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.