Americana empata série no Nacional

Está tudo igual no playoff que decide o título de campeã brasileira do basquete feminino. Neste domingo, numa partida com belas jogadas, Americana venceu Ourinhos por 73 a 71 (49 a 37) e empatou o playoff decisivo por 1 a 1. As cestinhas foram Cíntia Luz, de Americana, e Janeth, de Ourinhos, com 20 e 18 pontos, respectivamente. No primeiro jogo, A Unimed/Americana perdeu para o FIO/Pão de Açúcar/Unimed/Ourinhos por 61 a 56.Agora, a série melhor-de-cinco vai para Ourinhos, onde serão realizadas a terceira partida, nesta terça-feira, às 18 horas, no Ginásio Monstrinho, e a quarta, na quarta-feira, às 18h30. O SporTV transmite os dois jogos ao vivo.Americana, que havia errado demais na primeira partida, entrou em quadra ontem diferente. E jogou muito bem no início do jogo, abrindo uma vantagem no primeiro quarto (25 a 13) que ajudou a equipe a manter-se na frente. "Vimos nosso vídeo e percebemos que havíamos errado demais. Hoje conseguimos corrigir", afirmou a cestinha Cíntia.Americana nunca perdeu o controle do placar. Ourinhos ainda encostou a 3min20 do fim (71 a 73), mas sem possibilidade de virar. "Começamos mal e desconcentrados. No segundo tempo, quando tivemos chances de empatar a partida acabamos cometendo erros bobos e não conseguimos virar o jogo", analisou o técnico Antônio Carlos Vendramini. Mas observou que Ourinhos tem a vantagem agora de fazer dois jogos em casa. "Não queremos, de jeito nenhum, deixar a série voltar para Americana", afirmou.O técnico Paulo Bassul, de Americana, disse que a vitória foi "crucial para reequilibrar a decisão". Elogiou a personalidade de seu time, mas disse que quer o time com os pés no chão "consciente de que Ourinhos leva um certo favoritismo por fazer dois jogos em casa". Vai trabalhar em cima dos erros que a equipe ainda cometeu para ganhar uma partida na casa do rival, "já na terça-feira". "Hoje, o ataque esteve mais solto, porém a defesa, em determinados momentos, encontrou muitas dificuldades, principalmente em termos de rebotes. Precisamos corrigir isso", concluiu Bassul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.