Divulgação
Divulgação

Após furto em Rio Claro, CBB cobra providência da Liga Nacional de Basquete

Associação de Atletas disse que dará todo suporte aos jogadores de Franca

Estadão Conteúdo

06 de abril de 2016 | 16h05

O furto de pertences dos jogadores do Franca de dentro do vestiário do Ginásio Felipe Karan, em Rio Claro, durante o primeiro tempo de duelo das oitavas de final do Novo Basquete Brasil (NBB), serviu como pretexto para que a Confederação Brasileira de Basquete (CBB) cobrasse publicamente a Liga Nacional de Basquete (LNB), que organiza a competição.

"A CBB lamenta profundamente o acontecimento. O fato inusitado fere os princípios fundamentais da ordem e disciplina do basquetebol nacional, justamente no ano de sua maior projeção internacional, os Jogos Olímpicos, no Brasil. A CBB espera que essa entidade (a LNB) tome providências mais efetivas, no sentido de manter a ordem e disciplina na competição que administra", escreveu a CBB em ofício ao presidente da LNB, Cassio Roque. Diferente do usual, o ofício foi publicado com destaque no site da CBB.

Já a LNB, em nota, disse que repudia o "incidente" e disse que "infelizmente, a violência e a impunidade ainda estão presentes na sociedade brasileira". A entidade garantiu que "não irá tolerar qualquer ato nesse sentido" e que "tomará todas as providências que estiverem a seu alcance". Além disso, revelou seu desejo de que "o brilho do basquete não seja ofuscado por uma situação lamentável como essa".

A LNB e a CBB são entidades desvinculadas. À LNB cabe a organização do NBB, da Liga de Desenvolvimento e da Liga de Basquete Feminino (LBF), enquanto a confederação cuida apenas das seleções brasileiras e dos campeonatos interestaduais de base.

Nesta temporada, o NBB cresceu em projeção graças a uma parceria com a NBA. Além disso, a competição recentemente ganhou o patrocínio da Caixa, que inclusive comprou os naming rights do torneio. A CBB acumula dívidas milionárias e reclama que não consegue acesso a patrocínios estatais, como todas as demais grandes confederações olímpicas e paralímpicas.

JOGADORES

Também a Associação de Atletas Profissionais de Basquetebol do Brasil (AAPB) se posicionou, lamentando e repudiando "o triste infortúnio". "A AAPB dará todo apoio e o suporte necessário aos jogadores do Franca, como sempre faz quando é acionada pelos atletas. Além disso, conversará com a LNB para buscar alternativas para que acontecimentos como esse não voltem a se repetir e também para que os atletas francanos sejam assistidos em todas as suas necessidades", diz o comunicado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.