Mark Baer/USA Today Sports
Mark Baer/USA Today Sports

Após passagem apagada pela NBA, Faverani volta para a Espanha

Pivô fez apenas 37 jogos no Boston e vai defender o UCAM Murcia

Estadão Conteúdo

30 Dezembro 2015 | 18h21

Ainda sonhando em estar nos Jogos Olímpicos do Rio, o pivô Vitor Faverani está de volta ao basquete. O jogador de 27 anos e 2,13m vai jogar a Liga Espanhola pela Universidad Católica de Múrcia (UCAM Murcia), dividindo o garrafão com o também brasileiro Augusto Dutra. Pela mesma equipe jogava Raulzinho até sua transferência para o Utah Jazz, no meio do ano.

Faverani foi para a Espanha ainda adolescente e começou a se destacar no basquete profissional exatamente em Múrcia, jogando lá de 2009 a 2011. O pivô chamou a atenção da NBA ao fazer duas excelentes temporadas pelo Valencia Basket, assinando por três anos com o Boston em julho de 2013.

Emprestado diversas vezes ao Maine Red Claws, equipe satélite do Celtics na Liga de Desenvolvimento (D-League), jogou 37 partidas em Boston, sendo oito como titular. Em março, sofreu grave lesão no joelho esquerdo, tendo que ser submetido a duas cirurgias, a segunda delas em outubro. No fim de 2014, quando ainda se tratava, foi dispensado pelo Boston.

Neste ano, Taverani chegou a ser contratado pelo Maccabi de Tel-Aviv, mas quase não jogou. Em Múrcia, ele espera retomar o rumo da carreira, tendo assinado contrato por um ano e meio. O pivô já estreia no domingo, de acordo com o UCAM Múrcia.

FAB MELO

Neste mês, outro brasileiro com passagem pelo Celtics voltou às quadras, o pivô Fab Melo. Desde que jogou deixou os Estados Unidos, no primeiro semestre de 2014, após jogar a D-League pelo Texas Legends, Fab Melo já havia sido anunciado por outras duas equipes, sem nunca ter jogado.

Ele chegou a falar como reforço do Paulistano e, depois, assinou com o Caciques de Humacao. Seu retorno às quadras foi com a camisa da Liga Sorocabana de Basquete, no NBB. Em três jogos, tem média de 8 pontos e 6,3 rebotes.

Mais conteúdo sobre:
basqueteVitor FaveraniNBA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.