David Richards / USA Today Sports
David Richards / USA Today Sports

Após saída de LeBron James, Cavaliers renova contrato de Kevin Love por 4 anos

Ala/pivô receberá US$ 120 milhões (aproximadamente R$ 455 milhões) neste novo acordo

Estadão Conteúdo

24 de julho de 2018 | 16h34

A saída do astro LeBron James, que acertou com o Los Angeles Lakers, deixou o Cleveland Cavaliers em alerta nesta época de negociações para a próxima temporada. Assim, a direção da franquia de Ohio anunciou nesta terça-feira a renovação do contrato do ala/pivô Kevin Love por quatro anos, mantendo assim um dos principais jogadores no elenco. Ele receberá US$ 120 milhões (aproximadamente R$ 455 milhões) neste novo acordo.

+ Nowitzki jogará 21ª temporada pelo Mavericks e vai bater recorde na NBA

"Quando eu cheguei em Cleveland, vim com a mentalidade de um trabalho de longo prazo. Eu vim para vencer e desenvolver uma cultura aqui que reflete isso. Estou extremamente animado por permanecer aqui. É um compromisso muito importante para mim e para o Cavaliers. Gosto muito de jogar e estar aqui, estou empolgado com o time que temos e de olho em nosso futuro juntos", disse Kevin Love, em declaração ao site do Cavaliers, após o acerto da sua renovação com a franquia de Cleveland.

O contrato do ala/pivô iria até o final da próxima temporada. Ele poderia valer ainda por mais um ano, mas Kevin Love optou por declinar da opção de renovação automática para 2019/2020 e já assinar uma extensão que será iniciada a partir de junho de 2019. Durante este último ano do vínculo anterior, ele ganhará US$ 24,1 milhões (mais de R$ 90 milhões). Com o novo acordo, seu salário deve ir para US$ 30 milhões (mais de R$ 112 milhões).

Em quatro temporadas com o Cleveland Cavaliers, Kevin Love possui médias de 17,1 pontos e 10 rebotes, com 37,7% de aproveitamento das bolas de três pontos. Em setembro, o jogador fará 30 anos e pela primeira vez desde que se mudou para a franquia de Ohio, deverá ser o principal nome da equipe.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.