Argentina perde na estreia na Copa América de basquete

A seleção argentina masculina de basquete não fez jus à condição de candidata ao título da Copa América nesta quarta-feira. Em sua estreia pela competição disputada em Porto Rico, os argentinos perderem por 85 a 69 para a Venezuela. Campeã olímpica em 2004, a Argentina foi a San Juan sem jogadores importantes, como o ala/armador Manu Ginóbili, o ala Carlos Delfino e o pivô Fabricio Oberto, todos atletas da NBA.

AE, Agencia Estado

27 de agosto de 2009 | 00h45

No primeiro jogo pela Copa América, o time argentino teve uma atuação ruim e não conseguiu equilibrar o jogo contra a Venezuela em nenhum momento. No intervalo, já perdia por 39 a 30. Mesmo com a derrota, o ala/pivô Luis Scola foi o cestinha da partida, com 25 pontos. Pelos venezuelanos, o destaque foi Oscar Torres, que liderou o time com 22 pontos.

O resultado deixou a Argentina na quarta posição do Grupo B, que tem a Venezuela e o Brasil como líderes - também nesta quarta, a seleção brasileira estreou com vitória sobre a República Dominicana. O Panamá, que jogará pela primeira vez nesta quinta-feira, contra os dominicanos, é o lanterna por enquanto.

Pelo Grupo A, os anfitriões da Copa América estrearam com vitória. Porto Rico não teve dificuldades para vencer o México por 81 a 66, com boas atuações das suas principais estrelas: Carlos Arroyo, Daniel Santiago e Larry Ayuso. O Uruguai também passou fácil pelas Ilhas Virgens, vencendo por 88 a 62. O Canadá, quinto integrante da chave, estreia nesta quinta contra os mexicanos.

Nesta primeira fase da competição, as quatro melhores equipes de cada grupo avançam. Na fase seguinte, as oito seleções levarão seus resultados e jogarão contra os times da outra chave, com as quatro melhores se classificando para o Mundial de 2010. Já garantidas no torneio a ser disputado na Turquia, as equipes estão jogarão semifinais e final para definir o campeão da Copa América.

Tudo o que sabemos sobre:
basqueteCopa AméricaArgentina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.