Inovafoto/Divulgação
Inovafoto/Divulgação

Liga de Basquete Feminino terá apenas seis equipes

Competição começa na sexta-feira e cada time jogará 20 vezes

Estadão Conteúdo

17 Novembro 2015 | 14h56

Na temporada que culminará com os Jogos Olímpicos do Rio, em casa, o basquete feminino brasileiro chegou mais perto do que nunca ao fundo do poço. Nesta terça-feira, a sexta edição da Liga de Basquete Feminino (LBF) foi apresentado oficialmente em São Paulo com a participação de apenas seis times, menor número de equipes na história.

Com pouca divulgação e nível técnico cada vez mais baixo, a LBF viu os patrocinadores sumirem. Na comparação com o ano passado, foram fechados os times do Sport Recife (PE), de São José dos Campos (SP), Brasília (DF), Barretos (SP) e Jaraguá do Sul (SC). Em contrapartida, uma nova equipe foi criada em São Luis, o Sampaio Corrêa, que investiu bastante, contratando Iziane e outras jogadoras com passagem pela seleção.

Apesar da presença de apenas seis equipes, o torneio terá pela primeira vez o apoio da Liga Nacional de Basquete, responsável pela organização do NBB. "Para nós da Liga de Basquete Feminino é um motivo de muito orgulho realizar um evento de uma magnitude como esse. Nesta temporada tempos a novidade de contar com a parceria da Liga Nacional de Basquete, que será muito importante para nós em todos os sentidos”, comentou  Márcio Cattaruzzi, presidente da LBF, que comandou o evento, que contou com participação do vice-presidente da LNB, João Fernando Rossi.

Nos últimos anos, algumas equipes tradicionais já haviam fechado as portas, como o Ourinhos (pentacampeão brasileiro de 2004 a 2008) e o Catanduva (campeão em 2009/2010). Agora, a perda mais sentida é do São José, que foi semifinalista nos últimos três anos e teve cortado o apoio que recebia da prefeitura de São José dos Campos.

A Unimed, que patrocinava o Americana, tricampeão da LBF, retirou seu apoio e o clube só se manteve porque fez uma parceria com o Corinthians. Com a camisa alvinegra, a equipe já faturou o título sul-americano. Na LBF 2015/2016, é favorita contra Maranhão Basquete, Sampaio Corrêa, Presidente Venceslau (SP), Santo André e América (PE).

A competição, que começa na sexta-feira, terá quatro turnos, de forma que cada equipe fará 20 partidas ao longo do torneio. Por conta da falta de clubes, o Campeonato Paulista, estadual mais forte do País, teve a participação de apenas quatro times, que realizaram um total de sete partidas em oito dias. O Corinthians foi campeão.

Antes do basquete, também o handebol havia anunciado uma Liga Nacional enxuta na temporada da Olimpíada. Se em 2013 a competição tinha 11 equipes, desta vez apenas seis jogaram o torneio. Novo Hamburgo (RS), Força Atlética (GO), Santo André (SP), Cascavel (PR), Espírito Santo Handebol (ES) e Blumenau/FURB (SC) fecharam as portas

Mais conteúdo sobre:
basquete Liga de Basquete Feminino

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.