Patrick T, Fallon/Reuters
Patrick T, Fallon/Reuters

Autópsia revela que piloto estava sóbrio em acidente fatal de Kobe Bryant

Investigações da polícia de Los Angeles apontam também que todos os passageiros morreram imediatamente com a queda da aeronave

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de maio de 2020 | 10h27

Depois de quatro meses do acidente aéreo que vitimou Kobe Bryant, sua filha Gianna e mais sete pessoas, o resultado das autópsias foram finalmente divulgados e apontam que tanto o piloto, como os outros oito passageiros estavam sóbrios durante a viagem de helicóptero. Os exames apontam ainda que todos morreram de imediato com a queda da aeronave na Califórnia.

O grupo ia para um torneio mirim de basquete quando o acidente ocorreu. Inúmeras causas possíveis foram cogitadas conforme as investigações foram ocorrendo, sendo descartadas opções de falhas mecânicas após uma série de análise. Agora, os resultados apontam que não houve um possível consumo prévio de álcool ou drogas por parte do piloto que dirigia a aeronave.

Os relatórios do escritório do coronel da polícia de Los Angeles fornecem dados médicos, mas sem especificações detalhadas do quanto brutal foi o acidente. A descrição aborda cenas em que foram encontrados ossos quebrados, partes do corpo desmembradas e um forte cheiro de roupa queimada daquelas que restaram.

Astro da NBA e lenda do Los Angeles Lakers, Kobe Bryant só foi identificado por conta de suas impressões digitais, após seu corpo ter sido encontrado um pouco mais afastado dos destroços, mas nas proximidades do acidente. Os relatórios são precisos ao afirmar que tanto ele como os outros passageiros morreram instantaneamente devido à pancada brutal do traumatismo craniano.

Embora irreconhecível, investigadores conseguiram identificar os restos do corpo de Bryant através de 'lembretes' do ex-jogador, como seus tênis coloridos, que usava no dia em que morreu. Sua tatuagem com o nome da esposa, Vanessa, estava irreconhecível. O corpo de Gianna foi encontrado do lado oposto de seu pai, em meio a destroços.

Ara Zobayan, piloto experiente que frequentemente transportava Bryant, subiu o helicóptero rapidamente e teve sucesso rápido ao passar através de nuvens espessas quando a aeronave fez uma curva brusca à esquerda e acabou mergulhando em colinas na cidade de Calabasas, na Califórnia. A queda fatal foi considerada acidental.

O único composto químico encontrado no corpo de Kobe foi o metilfenidato, vendido sob o nome de Ritalina, usado para tratar distúrbios de déficit de atenção e hiperatividade e narcolepsia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.