Reprodução / Twitter
Reprodução / Twitter

Avião do Utah Jazz é forçado a fazer pouso de emergência após turbina ser atingida por pássaros

Aeronave seguia em direção a cidade de Memphis, no Tennessee, onde a franquia da NBA jogaria contra os Grizzlies nesta terça-feira

Redação, Estadão Conteúdo

31 de março de 2021 | 08h34

A caminho da cidade de Memphis, no Tennessee, a delegação do Utah Jazz, time com a melhor campanha geral da NBA neste momento, foi surpreendida com um incidente no voo nesta terça-feira e, por pouco, sua partida contra o Memphis Grizzlies não teve de ser adiada. Um bando de pássaros atingiu a turbina esquerda do Boeing 757 durante a decolagem em Sal Lake City. Foi só um susto, ninguém se machucou.

A turbina foi desligada por precaução e, após poucos minutos no ar, a aeronave teve de voltar ao aeroporto internacional de Salt Lake City para um pouso de emergência. Uma fonte de dentro da franquia disse que ouviu um estouro e um clarão saindo da turbina atingida. A parte inferior da cabine ficou manchada com sangue, mas não se sabe ainda quanto o avião foi danificado, colocando em risco a vida dos passageiros.

O porta-voz do Jazz se manifestou sobre o ocorrido. "Todo mundo ficou abalado, mas está tudo bem". Este pode ter sido o motivo pelo qual o armador Donovan Mitchell pediu licença da equipe para a partida em Memphis por razões pessoais. Sem outros desfalques até o momento, o Utah Jazz enfrenta o Memphis Grizzlies nesta quarta. Depois de várias horas, a companhia aérea Delta Airlines conseguiu uma nova aeronave e os atletas embarcaram para o Tennessee. Pelo Twitter, Mitchell e vários atletas agradeceram por terem conseguido aterrissar com segurança.

Com 35 vitórias e 11 derrotas, o Utah Jazz lidera a Conferência Oeste e toda a NBA. A equipe venceu suas últimas seis partidas e não perde desde o dia 8 de março, quando caiu diante do Washington Wizards, na capital dos Estados Unidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.