Barbosa e jogadoras garantem que susto não se repetirá

A vitória apertada sobre a Argentina nesta terça-feira serviu de alerta para a seleção brasileira. Pelo menos é o que garantem as jogadoras e o técnico Antônio Carlos Barbosa. Todos prometem que o time não repetirá o susto na partida desta terça-feira, contra a Coréia do Sul (às 15h15, com Globo, ESPN Brasil e SporTV), novamente no Ginásio do Ibirapuera.Janeth, que foi a cestinha do Brasil com 16 pontos, disse que o problema foi a equipe ?deixar a Argentina gostar do jogo, com desatenção na defesa e muitas falhas no ataque. Sabemos que o Brasil não joga esse jogo e temos de descontar tudo contra a Coréia?. O que alivia Janeth é achar impossível a seleção ?fazer um jogo desses duas vezes?. O técnico Antônio Carlos Barbosa observou que a Argentina vem melhorando e não é mais o freguês sobre o qual o Brasil sempre teve grande vantagem em Sul-Americanos - venceu a rival, em agosto, no Paraguai, por 29 pontos. ?Elas não tinham nada a perder, arriscaram, o jogo encaixou e a gente ficou com vergonha do que estava acontecendo.? Ainda disse que o horário da partida, normalmente de descanso, atrapalhou o ritmo das jogadoras. Criticou a média do time nos arremessos de dois pontos (38,3%) e de três (37%). Já a armadora Helen, que fechou com o espanhol Valência para a próxima temporada, salvou o time. ?Só escutei ´arremessa que o tempo que está acabando´, chutei e fiquei comemorando, nem vi que o cronômetro não tinha zerado. Sorte que elas não fizeram a bandeja. Serviu de lição. Não é desse jeito que o Brasil tem de jogar?, afirmou Helen, lembrando que a Espanha venceu a Coréia, no primeiro jogo, por uma diferença de 30 pontos. Helen ainda atribuiu o resultado ao nervosismo da estréia, no Ibirapuera - desde 1997, quando houve a Copa América, não há um torneio de basquete feminino em São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.