Basquete brasileiro em dia de eleição

O basquete nacional tem nesta segunda-feira o dia decisivo com a escolha do presidente que irá administrar a Confederação Brasileira até maio de 2009. Participam da eleição: Gerasime Nicolas Bozikis, o Grego, que tenta permanecer no cargo que ocupa há oito anos, e o candidato da oposição, Hélio Barbosa, concorrente pela primeira vez ao posto máximo da entidade.Durante o processo eleitoral, Grego não conversou com jornalistas, optando pelo silêncio, e preferiu se dirigir individualmente aos 27 presidentes de federações estaduais de basquete com direito a voto. Na apresentação de sua chapa, a tática pareceu ter funcionado, já que contou com o apoio de 23 entidades.Mas o engenheiro eletricista aposentado Hélio Barbosa registrou um crescimento de sua candidatura ao longo da campanha. Conseguiu obter vitórias importantes, como o fato de fazer o ex-técnico da seleção José Medalha desistir de concorrer para apoiá-lo, e o presidente da Federação de Basquete do Estado do Rio de Janeiro, Pedro Arantes, aliado de Grego, mudar de lado.Hélio Barbosa, que é pai do ala Dedé, da seleção brasileira e da Telemar (RJ), iniciou a carreira no esporte ao se tornar diretor de basquete do Grajaú Country Club, em 1989. Tem por metas a criação de um centro de treinamento, descentralizar o poder na confederação, além de apoiar a "Nossa Liga", presidida pelo ex-jogador Oscar. Além disso, o candidato da oposição ainda prometeu dar "atenção especial" às seleções brasileiras, com a criação de um departamento exclusivo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.