Basquete: Chuí vira técnico de Franca

Chuí foi confirmado hoje como novo técnico do basquete de Franca e terá a missão de tentar tirar o time da penúltima colocação no Nacional Masculino. Ele atuava na equipe como ala, era um dos titulares e anunciou hoje que encerra a carreira para se dedicar à nova função. Aos 40 anos, ele é recordista de pontos e participações na história da equipe. Abel Vicente Ricardo Souza, presidente do Franca Basquete, convidou Chuí no domingo, dois dias depois de haver demitido Daniel Wattfy, que estava na equipe havia quatro anos e está acertando com a Ulbra/RS. Chuí só aceitaria o convite se a diretoria garantisse a ele um trabalho de longo prazo. Assinou um contrato de dois anos. "Se fosse uma coisa para três meses, eu não aceitaria. Agora teremos condições de montar uma nova filosofia na equipe", disse. Para ele, ainda é possível fazer o time reagir no Nacional. Franca volta a jogar na sexta-feira, em casa, contra o Ribeirão Preto/COC, quarto colocado e atual tricampeão paulista. "O time é bom e pode reagir. Perdemos duas partidas por um ponto, uma delas contra o Flamengo, que é o líder, e outras duas por três pontos. Isso acontece por algum problema na hora de decidir. Assim como perdíamos, agora podemos passar a vencer por um ou três pontos." O novo técnico também será um dos responsáveis por montar um novo projeto para o basquete da cidade. Franca conta com um orçamento de R$ 50 mil mensais, metade do necessário para montar uma equipe de ponta. "Vamos ter que montar uma nova estrutura e buscar empresas que queiram patrocinar o basquete na cidade", disse ele, confiante com o trabalho da nova diretoria, que assumiu o comando do time em janeiro. Chuí disse que era impossível continuar jogando e acumulando a nova função. "Temos até três jogos por semana e uma série de coisas são cobradas dos técnicos. Acho que não funcionaria.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.