Basquete: Corinthians disputa paulista

A decisão de voltar às quadras foi tomada "na quinta prorrogação, em uma cesta de três pontos", conforme define o diretor de basquete do Corinthians, Sérgio Grégio, usando a linguagem da própria modalidade. Isso porque, apenas quando a Federação Paulista de Basquete (FPB) já estava encerrando as inscrições para o próximo campeonato, o Corinthians decidiu montar um time para disputar o torneio, depois de uma ausência de quatro anos. O último Paulista que o Corinthians competiu foi na temporada 1996/1997, time que ainda tinha Oscar Schmidt e o patrocínio da Amway, e foi campeão brasileiro e da Liga Sul-Americana naquela temporada. O Corinthians estréia no Campeonato Paulista no dia 15 de setembro, às 17 horas, contra o Franca, jogando no interior, com transmissão da ESPN Brasil. O clube decidiu retornar às competições da categoria principal, com um orçamento modesto por enquanto, mas com o apoio da empresa de marketing AGS Arete Global Sports que trabalhará para trazer um patrocínio ao time de basquete. "Será mais uma equipe da capital e com torcida", afirmou Sérgio. O Corinthians vai juntar-se a Palmeiras, Pinheiros e Hebraica, as representantes paulistanas entre as 15 equipes que disputam o torneio (COC/Ribeirão, Tênis Clube São José, São Caetano, Leitor/Casa Branca, Uniara Fundesport, Unisanta, Valtra/Mogi, Santo André, Rio Pardo/Sadia e Tilibra/Bauru). Apesar da tradição que tem na modalidade, o Corinthians vinha mantendo apenas as categorias menores (pré-mini, mini, mirim, infantil, infanto-juvenil, cadete e juvenil) nos últimos anos. "Houve uma fase em que o mercado ficou inflacionado com a corrida do Vasco e do Flamengo pelos jogadores de São Paulo", observa Sérgio. Embora o dirigente não confirme que isso possa ter sido um impedimento para o time principal seguir após 1997, o clube viveu à época problemas de atraso de salários pela Multi Sports, empresa de marketing que administrava o patrocínio da Amway. O Corinthians terá uma equipe de porte médio, mesclando jogadores experientes que jogaram a última temporada por outras equipes, e jovens atletas das categorias de base, juvenis principalmente. Será dirigido pelo técnico Jofre Menezes, que estava atuando nas categorias menores. O clube contratou André Brazolin (noivo da armadora Helen), o norte-americano Leon Jones (que estava em Bauru), Marcão (Fluminense), Daniel (Botafogo) - está disputando a Universíade, em Pequim -, Valtão (Hebraica) e Rafael (Casa Branca). "Pretendemos trazer mais um norte-americano. Como chegamos tarde, a maioria dos jogadores já estavam acertados com os outros clubes." Apesar da ausência de estrelas, a intenção do Corinthians é ficar entre os melhores de São Paulo obtendo, assim, classificação para o Campeonato Nacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.